O coworking é para todos, todos mesmo

on Quinta, 30 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Todo mundo pode trabalhar em um coworking. Acredito que no exato momento, após ler esta frase, você se vê pensando se o seu negócio seria possível em um ambiente onde tantas empresas diferentes convergem, e eu digo que sim.  Não existe um perfil específico, qualquer um pode trabalhar em um coworking, depende apenas das particularidades de sua empresa.

Durante estes cinco anos à frente de um espaço compartilhado, pude perceber que o maior motivo de quem escolheu mudar é a possibilidade de focar no próprio negócio. Ou seja, a chance de não se preocupar com limpeza, manutenção do espaço, internet e despesas diversas como água, luz e recepção são atrativos para aqueles que desejam que sua única prioridade seja a empresa. O tempo que é gasto nessas atividades de administração da rotina e logística pode ser integralmente empregado em horas reais de trabalho, e isso é uma enorme vantagem.

Conversando com os profissionais também noto que muitos citam a oportunidade de networking, ou seja, de se conectarem com outros empreendedores e mentes criativas. Uma vez que diversas empresas estão reunidas em um mesmo lugar – e o ambiente geralmente é mais descontraído – a produtividade e o espírito motivado aumentam consideravelmente.

Outro benefício que muitas empresas citam é a agenda de eventos da comunidade empreendedora que o coworking oferece. Estar em contato com este recurso permite um desenvolvimento constante, não apenas do negócio em si, mas também dos profissionais que fazem parte dele. Digamos que uma empresa esteja em uma sala comercial em um edifício onde a maioria é de consultórios médicos. O ambiente, em sua totalidade, vai girar em torno de agendas e pautas que envolvam a comunidade médica. Isso não é um ponto negativo, mas também é um fator que nada acrescenta ao empreendedor. O coworking possibilita que sejam expandidos potenciais que nunca foram cogitados.

Empresas dos mais variados ramos e de diferentes portes podem conviver no mesmo lugar. Creio que o perfil certo para estar em um coworking seja o daqueles que desejam estar em um local totalmente focado e otimizado para a produtividade. Não há a necessidade de ser uma empresa “moderninha”, entre outros pré-conceitos. É preciso apenas querer crescer, criar e fazer parte de uma comunidade conectada.

Fonte: EcommerceNews

Varejo Total: é difícil ser simples!

on Quarta, 29 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

A boa vida é a vida simples. Entre as ideias filosóficas de como deveríamos viver, a da simplicidade é a mais perene delas, vem de Sócrates até Sartre, de Budha até os dias de hoje.

Mas como traduzir isso em gestão, empreendedorismo e execução?

Um bom caminho para nos inspirar são as startups, muitas em tecnologia e outras no próprio varejo físico tradicional, sem necessariamente aparatos tecnológicos visíveis para o consumidor, como a Zara e o Eataly.

Mas, na verdade, o que tornam essas empresas simples? Acima de tudo, sua proposta clara de atuação, sua forma singular de entregar experiência que nem o consumidor saberia dizer que lhe faltava ou que desejaria.

IDEIAS SIMPLES COM BENEFÍCIOS CLAROS SÃO EXTREMAMENTE BEM-ACEITOS. JUNTE-SE A ISSO, TRANSPARÊNCIA, UM CERTO PROPÓSITO, HIPERSERVIÇO E SORTIMENTO COMPETENTE, SEM ESQUECER DA FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DO SEU TIME ALINHADO A UMA CULTURA ESTABELECIDA GERANDO COOPERAÇÃO PARA ENTREGA DE RESULTADO.

Essa mesma simplicidade conecta pontos, conecta pessoas. Funciona como uma verdadeira ponte onde, de um lado, temos quem faz, quem produz, de outro aquele que vê nessa produção uma enorme possibilidade de colocar no mercado o melhor para esses consumidores.

Simples, de longe, não quer dizer superficial, simples quer dizer ESSENCIAL!

Assim como complexo é diferente de complicado! Tornar processos complexos em simples é o estado da arte do gestor.

Nos negócios, processos devem ser dirigidos dessa forma: com essência, conteúdo relevante para quem usa, consome e colabora, recheado de muita transparência nas suas ações e atividades. Estamos vendo, assistindo de camarote no Brasil e no mundo que transparência  “is new Black”!

Nessa receita de sucesso e, até mesmo para garantir esse sucesso, acrescentaria uma grande dose de “analytics”, métrica, mensuração das nossas ações.

Se não der para medir, comparar, não faça, simples assim! Ações devem ser medidas e comparadas. Os indicadores mostram o quanto evoluímos e quando devemos repensar nossas estratégias.

Nós, da consultoria, adoramos descomplicar o seu negócio, ser o agente catalizador nas soluções de problemas, gerando valor a cada passo dado.

Quer saber mais? Entre em contato conosco, teremos o maior prazer em aportar nossa experiência a serviço de resultados.

FONTE: Mercado e Consumo

E-mail marketing: como ser relevante em menos de dez segundos

on Terça, 28 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Um consumidor recebe, em geral, mais de 500 mensagens de marketing por mês e abre menos de uma em cada quinze delas. Junte essa informação aos seguintes dados de comportamento dos usuários de e-mail, também mapeados pela Return Path: em média, as pessoas levam pouco mais de um segundo para decidir se vão abrir ou ignorar uma mensagem, entre dois e sete segundos para fazer um rápido escaneamento e avaliar se o conteúdo em questão merece atenção. Quando dedicam mais de oito segundos de seu tempo a uma mensagem, as chances de conversão começam a crescer.

Diante desse processo, cada detalhe do conteúdo da mensagem é fundamental para determinar o sucesso ou o fracasso de uma campanha de marketing dentro desse canal altamente competitivo e bastante rentável. Então, se você deseja otimizar seu programa de e-mail sugiro alguns pontos de atenção:

Remetente

Ao visualizar a mensagem na caixa de entrada, o destinatário espera identificar a marca que a disparou de maneira clara, identificado pelo “from name”. O ideal, ainda, é que o domínio do “from address” seja o mesmo do site e evite ficar trocando o endereço de remetente.

Assunto

A mensagem deste campo deve gerar curiosidade sem ser vaga, descrever o conteúdo e estar contextualizada com o momento de vida do cliente ou algum assunto do momento. Estudos da Return Path apontam que o uso de emojis tende a aumentar as taxas de leitura das mensagens. Mas, as tais imagens devem ser utilizadas com bom senso, fazer sentido com a estratégia e ter sinergia com a empresa remetente. Conheço marcas que criaram o padrão de utilizar determinado emoji para lançamentos e outro para ofertas, por exemplo. Assim, facilita a identificação do usuário de e-mail sobre o assunto central da mensagem.

Texto do pré-cabeçalho

Apresente neste espaço algo que complemente o assunto e gere interesse para ler o conteúdo da mensagem. Tenha atenção, porém, para excluir o texto padrão que aparece como sugestão.

Corpo do e-mail

Se o destinatário clicou na mensagem para leitura é porque ele está interessado em buscar algo de valor, então não perca a atenção dele. Garanta que sua mensagem tenha uma identidade visual padrão para ser rapidamente identificada como parte da comunicação da sua marca.

Considere fazer uso de: espaços em branco, pois não há necessidade de preencher a totalidade da área com textos e imagens; listas para destacar principais informações; títulos em negrito; e padrão de caminho em formato “z”. Essa última orientação tem relação com o fato de que, usualmente, nos sentimos mais confortáveis ao fazermos a leitura da esquerda para a direita.

Conteúdo

Evite que sua estratégia de e-mail marketing gire em torno de enviar sempre promoções de produtos e/ou serviços para toda base de assinantes. Se possível, personalize as mensagens com nome e, sempre, considere os seguintes dados do cliente para construir e segmentar suas campanhas: idade; sexo; localização; interesses pessoais; e histórico de compras. Esses cuidados tendem a criar conexão e aumentar as chances de conversão.

Imagens

Elas ajudam na comunicação, no clique e na conversão, portanto use-as. Porém, tenha atenção ao tamanho dos arquivos e ao equilíbrio adequado entre elas e o texto. GIFs também são ótimas opções, pois chamam a atenção e estão na moda. Garanta, porém, que o seu primeiro frame já comunique a mensagem desejada, pois quando o formato não for suportado no ambiente de leitura, apenas este será exibido.

Em minha opinião, nenhuma estratégia justifica a produção de um e-mail marketing apenas com imagens e a ação pode gerar problemas, como: necessidade de maior tempo para download; e bloqueio por parte de filtros que enxergarão ali riscos do ocultamento de links maliciosos.

Há soluções que permitem a exibição de imagens de acordo com o contexto no momento da abertura do e-mail: se o destinatário abrir a mensagem de madrugada vai ver uma promoção relacionada a um drive thru; e se estiver chovendo aparecerá alguém com um guarda-chuva em mãos. É possível ainda direcionar o conteúdo de acordo com a disponibilidade ou indisponibilidade do estoque do produto ou exibir a indicação do final de uma promoção por meio de contagem regressiva.

Links

Em muitos casos, o principal objetivo de uma estratégia de e-mail marketing é converter, fazer com que o destinatário clique e vá para o site desejado. Então, facilite a vida do cliente. Faça com que links se pareçam com links, ou seja, eles devem estar sublinhados e destacados, com palavras orientadas para a ação, como “compra”, “oferta”, “cadastre-se” ou “download”, por exemplo. Os botões têm que estar em HTML e não como imagens.

É importante lembrar, porém, que nenhuma dessas dicas é válida se a entregabilidade dos e-mails da sua empresa apresenta falhas e a reputação do seu domínio está em baixa com os provedores. Então, mapeie essas taxas, nunca trabalhe com mailings comprados e não lote a caixa de entrada dos clientes.

Boas conversões para todos!

Como trazer de volta mais de 50% dos clientes que comprarem na Black Friday?

on Segunda, 27 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Quantas pessoas que compram na Black Friday retornam no ano seguinte para uma nova conversão na mesma loja?

Com base nesta dúvida, fizemos um estudo entre as principais marcas de Varejo no Brasil e descobrimos que existem algumas estratégias em comum entre elas para incentivar a recompra com clientes atraídos pelas super promoções desta data.

Aliás, a necessidade de responder a essa pergunta vem justamente da lógica por trás da Black Friday: preços baixos para atrair novos clientes ou recuperar aqueles que já estavam inativos. Ou seja, as empresas reduzem suas margens para conquistar ou reconquistar o consumidor esperando que ele volte depois para comprar com preço cheio, só assim este cliente será realmente rentável e compensará o investimento inicial feito para adquiri-lo.

Estudamos 50 pequenas, médias e grandes marcas de Varejo com o objetivo de entender de forma ampla os segredos por trás das estratégias de recompra. Obviamente, assumimos que essas marcas fizeram o básico que se espera delas, isto é, entregar o produto certo dentro do prazo.

Em média, 42% dos consumidores que compraram nessas empresas na Black Friday do ano passado voltaram em 2017 para uma nova conversão.

O tempo entre a compra na data comemorativa e a recompra no ano seguinte variou muito, conforme o tipo de produto vendido. Por isso, pegamos todo o período de janeiro a outubro de 2017.

A taxa de retenção de clientes ficou entre 21% e 66%. Isso significa que as melhores marcas que investigamos conseguiram trazer de volta 6 a cada 10 pessoas que conquistaram na Black Friday.

Indo mais a fundo para estudar o porquê desta variação, descobrimos alguns pontos em comum entre aquelas marcas que conseguiram reter mais da metade dos clientes. Vou explicar aqui as principais estratégias de marketing usadas por essas empresas.

Algumas são simples, apesar de pouco usadas pela maioria dos varejistas, outras são mais complexas e dependem de uma visão mais ampla da importância da experiência do cliente. Importante ressaltar que essas ações começaram antes da Black Friday e continuaram depois ao longo do ano seguinte.

Volume de e-mails antes da Black Friday

O principal erro aqui é mudar radicalmente o volume de e-mails enviados na semana ou no mês de novembro para impactar as pessoas. Se você quer realmente aumentar a quantidade de mensagens, precisa fazer isso de forma gradual e, principalmente, mantendo a relevância. Não adianta despejar mil e-mails para seus clientes, assim você acaba sendo genérico e surtindo o efeito contrário, ao invés de reter seu cliente e fazer com que ele compre mais, ele vai, na verdade, se descadastrar ou ignorar seus e-mails.

Não existe uma frequência certa ou errada, depende do público, mas, se o engajamento com as campanhas (taxa de abertura e taxa de clique) está piorando ao longo do mês, você está errando. Quando chegar realmente a semana da Black Friday, pouca gente vai ser impactada e suas vendas serão prejudicadas.

Isso acontece por dois motivos. Primeiro que ser mais agressivo mandando altos volumes de e-mail de forma descontrolada leva os provedores a te classificar como um “remetente suspeito”. Segundo porque você pode exaurir seus consumidores com mensagens que não os interessam.

E aí não adianta tentar retomar uma relação com esses clientes em Janeiro depois de ter destruído sua reputação. Os provedores e os consumidores não perdoam assim tão facilmente. As marcas que estudamos com melhores resultados de recompra não caíram nessa tentação e mantiveram taxas de abertura de emails superiores a 15% no mês da Black Friday.

Melhor horário para enviar os e-mails

Esta dica é especialmente útil para a Black Friday por causa do aumento do volume de e-mails que as pessoas recebem em suas caixas, mas também serve para o restante do ano.

Não envie e-mails em horas cheias, como 8:00, ou meias como 8:30. A maioria das marcas disparam suas mensagens nesses horários porque são fáceis de configurar. Assim ficará mais difícil chamar a atenção do seu cliente em meio a chuva de e-mails de outras marcas.

O problema é que os provedores (Gmail, Hotmail, Yahoo etc.) também recebem um excesso de e-mails nestes mesmo horários, o que pode fazer com que os seus demorem a ser entregues ou nem cheguem ao destino final.

Funciona mais ou menos como no trânsito. Se você sai de carro nos horários de pico, tem mais chance de cair num congestionamento (ou ficar pelo caminho). O ideal, portanto, é enviar campanhas em horários quebrados. Ao invés de 8:00 ou 8:30, tente 8:07, 8:21 ou 8:36.

Não forçar a barra logo depois da Black Friday

As pessoas que acabaram de comprar algo durante esta data dificilmente estão dispostas a uma nova conversão uma semana depois. As marcas que conseguiram trazer mais pessoas de volta entenderam bem isso e não “incomodaram” os clientes com mensagens de ofertas pelo menos duas semanas após a Black Friday.

Ao invés disso, usaram uma comunicação de pós-venda com conteúdos que mostravam que a marca estava preocupada com a experiência do consumidor: informações sobre troca, cuidados com o produto etc.

Essas empresas só voltaram a impactar os clientes que compraram na Black Friday no fim da segunda semana de Dezembro, com uma mensagem específica sobre entrega rápida e condições especiais para o Natal.

Algumas até enviaram um e-mail perguntando a essas pessoas se elas já tinham resolvido todas as suas compras de fim de ano ou ainda precisariam de presentes. Com este tipo de estratégia de marketing, essas marcas mostraram respeito ao momento das pessoas.

Intervalo até a segunda compra

Na mesma linha do ponto acima, é importante entender qual é geralmente o intervalo entre as compras.

Dependendo do tipo de produto e do público, a recompra pode demorar de 30 a 180 dias. Na área de calçados, por exemplo, é mais raro ter um consumidor que compra uma vez por mês. Ao mesmo tempo, entre os clientes de uma mesma empresa, há aqueles que demoram menos e outros mais para retornar.

Por isso, as marcas estudadas que tiveram altas taxas de retenção souberam entender seu ciclo de compra e preencher este período de “entressafra” com uma comunicação mais voltada para engajamento, sem necessariamente ficar oferecendo produtos.

Frequência de e-mails no ano seguinte

Como já disse, existem alguns padrões entre as marcas que mais conseguiram trazer de volta os consumidores. Um dos mais relevantes foi a frequência com que cada pessoa foi impactada.

De forma geral, cada consumidor dessas marcas não foi impactado mais que 3 vezes por semana. Isso não significa que a empresa deixou de mandar e-mails todos os dias, mas fez isso de forma mais segmentada.

Isso ajudou a manter a média de taxa de abertura dessas marcas acima de 15%, o que também contribuiu para que a base engajada (que interagiu com as campanhas nos últimos 180 dias) também se mantivesse acima de 60% da base total de pessoas cadastradas. Tudo isso reflete diretamente na efetividade das campanhas, medida aqui por uma métrica chamada ARES, que é a receita média gerada por cada e-mail recebido.

Enfim…

Como já falamos, vale ficar atento a este trabalho pré-Black Friday para garantir que os resultados depois desta data sejam interessantes. Em resumo:

  • Estude seu público, conheça melhor sobre sua jornada de compra e veja qual é a periodicidade correta para enviar e-mails.
  • Segmente e personalize suas mensagens para que você consiga impactar o cliente com a mensagem certa, o produto que ele clicou ou navegou, ou um produto complementar, por exemplo.
  • Respeite o tempo do seu cliente: se ele acabou de comprar, dificilmente vai comprar de novo naquela hora.
  • Invista em uma comunicação pós-venda com conteúdos úteis para seus clientes (informações de troca, sobre o produto, etc).

Texto reproduzido com autorização do autor. Artigo original disponível em: http://blog.dito.com.br/como-trazer-de-volta-consumidores-na-black-friday/ 

Checklist para a Black Friday

on Quinta, 23 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Opa, lojista tudo bem? Como estão os preparativos para a Black Friday?

Montei um pequeno Checklist para a Black Friday deste ano para e-commerces, a fim de não deixar nada para trás! Vamos lá?

Eu dividi em 3 etapas sendo: promoções, qualidade da loja e marketing estratégico.

Promoções:

Produtos com promoção real 

Isso nem precisava estar falando concorda? As promoções em sua loja devem ser reais, considerando o preço antes da Black Friday, sem aumentar para tentar enganar os compradores, até porque eles já sabem o preço que estava.

Então, pratique com ética e tenha bons resultados, para não ficar taxado como uma loja que engana os consumidores.

Abuse do 0,99

A estratégia do 0.99 funciona super bem nesta época, além das promoções com os preços arredondados, algum preço como R$ 150,38 pode ser alterado para R$ 149,99. É muito mais atrativo para os clientes e comercialmente é comprovado que essa regra funciona super bem.

Combos

Outra grande dica é criar combos no site, produtos estrela + produtos parados, assim você consegue atrair o cliente para compra, e de quebra ele leva um produto parado, além de aumentar seu ticket médio. 

Analise sua concorrência

Outro ponto importante é analisar sua concorrência, veja os preços que eles estão praticando, faça uma planilha para um acompanhamento melhor, e tenha o melhor preço na Black Friday.

Qualidade visual:

Banners

Capriche nos Banners, coloque produtos atrativos neles, não poupe informações como % de desconto que o produto está, além de destacar em R$ o valor do desconto! Use e abuse dessas informações para atrair o clique e, consequentemente, a conversão.

Layout

Seu layout está atrativo? Capriche nas cores, disposição de banners, vitrine organizada, categorização, deixe a loja o mais fácil de navegar possível para o cliente encontrar o que deseja mais rapidamente!

Descrição dos produtos

Outro ponto que considero muito importante é a descrição dos produtos, ela deve estar completa com todas informações gerais e técnicas do produto que está vendendo.

Fotos e preços

Este é um fator determinante, as fotos com boa qualidade, para que o cliente veja o produto de diferentes ângulos, como sabe, o que vende é a foto, você pode ter a loja mais completa possível se o seu produto não tiver foto, não vende.

O preço deve estar claro perto do botão de compra, e claro competitivo com relação a concorrência. Tente dar ênfase ao preço á vista e o parcelado coloque no formato (ou em 12x de x).

Marketing estratégico:

Chat online

Quer aumentar as vendas neste período, atenda e aborde os clientes em sua loja, eles querem tirar dúvidas, conversar com alguém para maior confiabilidade, e uma dica surpresa, tenha um cupom de desconto na manga, será o cheque mate para aquela venda acontecer! E lembre cupom desconto com validade para o Dia!

Redes sociais

Facebook e Instagram são ótimos impulsionadores de suas ofertas, use elas durante toda semana, criando chamadas, teasers e até mesmo promoções exclusivas para o público de lá! Gere cupom para as Redes e mensure os resultados!

Lembre de impulsionar os anúncios para ter um bom alcance.

Crie campanhas para o público de sua loja, e para amigos deles, com estratégias de quem trazer o amigo ganha mais xx de Desconto. Crie campanhas para o público externo, aproveite este movimento para alavancar suas redes.

E-mail marketing

Esta ferramenta é imprescindível! Na semana da Black Friday dispare mais e-mails marketing com condições exclusivas, incentive as pessoas a se cadastrarem em sua loja, oferecendo alguma vantagem, aproveite o movimento para aumentar sua base de e-mails.

No e-mail marketing não esqueça de colocar bastante CTA ( Call to Action ) para diversos setores da sua loja.

Google Shopping e links patrocinados

Quer ter um bom retorno? Invista em Anúncios como Google Shopping e a links patrocinados.

No Google Shopping não tem segredo, o que vale lá são 3 fatores foto do produto, nome e o mais importante o preço, se o seu for o menor o clique é garantido!

No nome do produto sempre deve conter palavras chaves para ser encontrado mais fácil nesta rede.

Para o Links Patrocinados, crie campanhas específicas direcionando para uma categoria ou landing page de Black Friday.

Crie campanhas por marca e tipo de produto.

Buscadores

Vale a pena estar presente nos buscadores como Buscapé e Zoom, muitas pessoas pesquisam preço antes e querem comprar por meio destes portais que trazem uma boa conversão.

Marketplaces

Se não trabalha, eu recomendo que entre neles, se já tem, ajustes seus produtos, Nomenclatura, Preços, Fotos, crie promoções de Frete, Preço e faça de tudo para conseguir o Buy Box!

Frete grátis

Esta técnica vem sendo usada a um tempo, use com produtos estratégicos, ofereça Frete Grátis para eles, ou crie cupons e distribua pela loja estrategicamente. Peça sempre o e-mail para a pessoa ter o cupom. Se o frete ficar caro, recomendo que conceda uma porcentagem do frete, continua sendo atrativo para o cliente.

Remarketing

Sua loja estará com um tráfego além do normal, mas para onde vão estas pessoas depois? Se quiser saber e tentar reconquistá-las use o Remarketing, configure uma campanha, instale as tags e trabalhe estes Leads!

Recuperação de carrinhos abandonados

Muitas pessoas abandonam os carrinhos nesta época, é importante trabalhar bem esta questão com estratégias rápidas, pois nesta semana não podemos perder muito tempo, qualquer minuto, podemos perder um cliente que foi comprar no concorrente por diversos motivos!

Recursos da plataforma

Dependendo da sua plataforma, ela possui diversos recursos que ás vezes você passa direto e nem repara, e eles são super úteis para aumentar sua conversão como:

– DESCONTO PROGRESSIVO (Compre 2 e ganhe xx% de Desconto)

– URL AFILIADO (Indique um amigo e ganhe um bônus em sua compra)

– BUSCA PREDITIVA (O cliente começa a digitar o produto e a busca já indica alguns, como o autocomplete do Google)

Bom, acho que são dicas úteis para seu Black Friday ser incrível!

Boas Vendas!

FONTE: Ecommerce Brasil

Como escolher a melhor plataforma de E-commerce

on Quarta, 22 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Quem nunca se perguntou qual a melhor plataforma para a hospedagem de sites? Essa questão é muito comum para quem deseja adentrar no e-commerce ou está infeliz com os resultados apresentados pela atual plataforma.

Primeiro, é normal que no meio da vida útil da sua loja virtual aconteça algumas migrações, porém, essas devem estar sempre lado a lado com os redirects para que as páginas ranqueadas não sejam perdidas. A SinalizeWeb pode te ajudar nessa questão.

A verdade é que a expansão da tecnologia definir qual a melhor plataforma não é uma tarefa fácil, na verdade, essa definição pode variar de e-commerce para e-commerce. Para a SinalizeWeb, escolher uma plataforma está totalmente ligado ao planejamento estratégico do seu e-commerce e os objetivos, de modo que seja considerado também o custo x benefício.

A princípio, vamos entender quais as necessidades da plataforma de comércio eletrônico para cada caso. Separamos alguns critérios de avaliação para detalhar cada cenário:

Hospedagem própria ou da plataforma: Diversas plataformas oferecem pacotes que contemplam o domínio e hospedagem, o que pode ser uma facilidade para quem tem menos experiência no ramo. Porém, se você sente a necessidade de uma solução customizável e flexível, que permita a adição de funções mais avanças e mais escalabilidade, as plataformas usadas em uma hospedagem própria (contratada por quem gerencia a loja) são as melhores escolhas.

Plataformas de e-commerce proprietárias ou de código aberto, qual a melhor?

Dentro da grande variedade de plataformas para e-commerce, muitas delas são de código aberto, ou seja, podem ser usadas e personalizadas de acordo com as necessidades de cada loja, sem a necessidade de pagar por isso. O maior ponto de diferença das plataformas pagas, é que elas costumam ser bem completas e prontas para uso, o que facilita caso o gerenciador seja leigo. Já as de código aberto oferecem mais liberdade e flexibilidade, além também de exigir mais esforços para o desenvolvimento da solução final. No mercado, as principais plataformas de comércio eletrônico de código aberto são: Magento, WordPress, Prestashop, Opencart e Spreecommerce.

Conceituando um pouco mais as plataformas pagas de e-commerce, elas geralmente representam uma solução mais fácil sendo a escolhida, porém, como sempre, é imprescindível que haja atenção em relação ao custo-benefício delas. Estude as funcionalidades e o suporte oferecido para chegar à melhor escolha. Assim como as de código aberto, existem algumas proprietárias que se destacam, entre elas estão: Vtex, Rakuten, Shopify e BigCommerce.

Além desses pontos, existem outros critérios que também são de extrema importância na hora de escolher a plataforma ideal para o seu comércio eletrônico, como por exemplo, os métodos de pagamentos. Para o conforto do consumidor, é imprescindível que haja na sua loja virtual a integração com as principais ferramentas de pagamento de produtos online. Lembre-se, é sempre necessário se certificar da possibilidade de receber pagamentos via crédito e débito, boleto e outros meios de cobrança como Paypal, PagSeguro e VisaCheckout por exemplo. O meio de pagamento pode ser um grande influenciador na hora do consumidor realizar a compra.

A integração com importantes sistemas de terceiros é um critério relevante na escolha da melhor plataforma e essa integração precisa ir além das soluções de pagamentos, passando também por sistemas de entregas como os Correios, por exemplo, para o seu consumidor rastrear as entregas ou algum ERP (software que integra vários processos da sua empresa). Para o total funcionamento desses sistemas é importante que em seu plano de negócios estejam claros os tipos de integrações necessárias.

Além disso, o suporte também é um importante ponto a ser estudado. Ao contratar uma plataforma de comércio eletrônico, certifique-se de que o suporte irá cobrir todas as suas necessidades. Ao escolher uma plataforma de código aberto, você vai precisar de um profissional ou de uma equipe técnica para dar esse suporte, ou então, delegar a parte técnica da gestão do e-commerce a uma agência digital como a SinalizeWeb, que garante ter Know-how necessário para manter sua loja sempre íntegra e online.

Existem ainda outros adendos e características que pesam na escolha da plataforma de comércio eletrônico, entre eles, está a gestão de carrinhos abandonados, a usabilidade da plataforma, relatórios analíticos eficientes e otimização básica para motores de buscas.

Analisando esses pontos, com certeza você chegará na melhor escolha para definir a melhor plataforma para o seu e-commerce. Para ajudar você a gerenciar, tirar dúvidas ou até mesmo conhecer mais a fundo as características de cada plataforma existente no mercado, a SinalizeWeb Agência de Marketing Digital pode ajudar você no que for necessário, basta contata-nos agora mesmo!

 

O Guia Completo de Inbound Marketing

on Terça, 21 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Tudo o que você precisa saber sobre essa ferramenta.

Entender como o Inbound Marketing funciona não é uma tarefa impossível. Imagine uma estratégia de Marketing relativamente mais barata comparada a mídias tradicionais. Agora, imagine que essa estratégia atrai os consumidores espontaneamente, sem interromper a atenção deles como os comerciais televisivos fazem.

Agora, imagine também a sua marca ser procurado ao invés de você procurar o cliente. Sim, com o Inbound Marketing é possível, ele proporciona que a mídia e o investimento feito seja mais assertivo de forma que os objetivos pautados sejam alcançados com mais facilidade.

De tantas estratégias do marketing digital, o Inbound Marketing é uma delas. O foco desse método é atrair consumidores com maior potencial de conversão. Como toda estratégia, o Inbound Marketing possui ferramentas que ajudam na consolidação desse meio. A mais importante que deve ser levada em consideração, com maior foco e atenção, é o marketing de conteúdo. Por meio dele, é possível atrair, educar e por fim encantar os visitantes, assim, a captura de leads fica muito mais fácil e com maior potencial de transformá-los em clientes.

Segundo empresários americanos, por volta de 92% dos profissionais da área de marketing afirmam que o Inbound Marketing é uma estratégia fundamental para as empresas, principalmente no atual cenário onde a comunicação está cada dia mais voltada para a internet.

Após tantos números e afirmações incríveis sobre o Inbound Marketing, não paramos por aí. Acontece que o Inbound é cerca de 60% mais em conta quando comparado ao marketing tradicional. Além disso, o Inbound gera muito mais resultados, com mais potencial de captação de leads e maiores possibilidades de mensuração e analises.

Com esses cenários, podemos chegar à conclusão que o Inbound Marketing tornou-se uma estratégia com maior potencial de resultados ao mesmo tempo em que exige menos investimentos. Podemos defini-lo como uma técnica extremamente forte para atrair clientes e consumidores, sem que seja necessária a imposição de publicidades a todo tempo, ações que podem atrapalhar a credibilidade da empresa, já que cada vez mais consumidores em geral evitam ao máximo serem invadidos com propagandas de marketing.

O Inbound Marketing consegue trazer divulgação eficiente da sua empresa para o seu cliente, a partir de interesses pessoais. Com isso, os conteúdos recebidos por esses consumidores pode muitas vezes ser o diferencial na tomada de decisão.

A seguir, vamos trazer informações indispensáveis para você descobrir como conquistar a aprovação de clientes para construir uma comunicação mais assertiva apenas para pessoas interessadas na sua marca. Também vamos mostrar técnicas valiosas para atrair pessoas para um site, convertê-las em consumidoras e construir um relacionamento saudável e de qualidade, fidelizando antigos e novos consumidores. Tudo isso vamos mostrar em forma de etapas do Inbound Marketing, detalhadas a seguir.

Com este incrível guia, você vai conhecer vantagens do Inbound Marketing, dicas de ferramentas importantíssimas e estratégias voltadas para o aumento de vendas.

Reunimos neste artigo todos os pontos do Inbound Marketing:

- O que é Marketing de Assentimento

- O que é Inbound Marketing

- O que é um Lead

- Inbound Marketing: Como funciona

- Definição de Persona

- Marketing de Conteúdo

- Processos de Compras

- Funil de Vendas

- Etapas do Inbound

- Encantando e Fidelizando

- Mensuração de Resultados

- Vendas Assertivas

- Vale a pena investir em Inbound Marketing?

Bom, vamos ao primeiro tópico: O que é Marketing de Assentimento?

Primeiro, é preciso você ter mente que nem todo mundo está interessado na sua marca, produtos ou serviços. Essa afirmação pode parecer uma pergunta grosseira, porém, é uma realidade a ser enfrentada. Isso serve como uma ajuda para entender o porquê você pode estar gastando tanto com campanhas que não trazem retorno. Acontece que todo o investimento que sua empresa está fazendo, pode não estar direcionado diretamente para o seu público-alvo – aquele que realmente se atrai pelos seus produtos ou serviços.

Com esse cenário, Seth Godin, especialista em marketing desenvolveu o conceito de marketing com assentimento. Isso baseia-se na aceitação do consumidor com a sua marca, ou seja, a partir disso, o cliente só recebe publicidade como e-mails ou promoções a partir do momento que ele se mostra interessado.  

Após ter conquistado a aceitação de clientes em potencial ou clientes que já consumiram seu produto, a organização passa a ganhar espaço e também autorização para enviar publicidades como newsletters, promoções, informativos sobre a empresa, conteúdos interessante para aquele público como e-books, artigos ou podcasts e lançamentos de produtos.

Há diversas maneiras de capturar as informações desses clientes, que passam a ser leads. Formulários presenciais, em feiras, por exemplo, ou então na própria internet com landing pages. As vantagens que o marketing de permissão oferece são inúmeras, mas dentre elas, três são importantíssimas: Menos investimento, mais conversão e mais privacidade para o cliente.

Menos investimento porque a sua comunicação passa a ser direta atingindo apenas as pessoas que estão interessadas em comprar da sua empresa. Por isso, não é necessário um investimento absurdo em comunicação de grande escala. As conversões também aumentam, pois, o retorno passa a ser maior quando o direcionamento é específico. A publicidade feita por sua empresa não será entendida como invasora, detalhe que vem sendo imprescindível na nova geração. A partir do momento que sua empresa dispara publicidade para clientes que “autorizaram”, consumidores em geral passam a entender que você os respeita.

Entender o Inbound Marketing não é tarefa difícil, simplificadamente, o Inbound Marketing é uma estratégia de atrair pessoas para um site, através de conteúdo personalizado. Com ele, é possível e mais fácil comunicar-se com o target de maneira direta e duradoura.

Com o Inbound Marketing as vendas passam a ser mais assertivas, devido ao vínculo que passa a ser criado com o público-alvo por meio de personalização de conteúdos. Assim, a redução de custos também passa a ser uma forte característica do Inbound.

Para alcançar os resultados esperados, a solução perfeita para o Inbound é o Marketing de Conteúdo. Isso quer dizer que, produzir conteúdos autorais, informativos e atraentes com qualidade é fundamental para qualquer empresa que busca uma ótima colocação no mercado.

Por fim, um dos benefícios que o Inbound Marketing traz é o aumento de vendas trazendo visitantes que viram leads e por fim clientes fiéis com a aplicação das ferramentas corretas que essa estratégia proporciona. Automaticamente esses consumidores passam a divulgar sal marca.

Agora que entendemos o que é Inbound Marketing, vamos aos Leads, termo que é diariamente e comumente repetido no cotidiano do marketing. Podemos definir leads como todo consumidor em potencial, ou seja, consumidores que foram atraídos com o marketing de conteúdo e partir disso passaram a se interessar pela marca, produtos ou a proposta que uma empresa oferece.

Leads vão além de visitantes de um site, loja virtual ou blog, são pessoas que além de visitar, aceitaram fazer cadastro e fornecer algumas informações pessoais para receber conteúdos personalizados, sendo um ato do marketing de permissão.

Após conquistar o lead, é imprescindível a nutrição do contato direto com essa pessoa. Construir vínculos duradouros de forma pessoal é um diferencial a ser oferecido.

O Outbound Marketing também está na internet e pode ser entendido como um marketing tradicional, ou seja, é muito conhecido em meios de massa como televisão, rádio, revistas e outros. A principal diferença do Outbound para o Inbound, é que esse método precisa “interromper” a atenção do consumidor em algum momento. Um exemplo que simplifica tudo isso, são os vídeos de propaganda no Youtube.

Agora que entendemos o Inbound Marketing e descobrimos que o Outbound também pode ser um aliado, vamos nos aprofundar mais em como o Inbound Marketing funciona.

Existem seis princípios básicos para que o Inbound funcione corretamente:

Interação: Construir uma relação pessoal com os seus clientes é o primeiro passo para ser visto como uma empresa que realmente oferece m diferencial, além de ajudar positivamente na imagem e reputação de qualquer empresa.

Estratégias Multicanais: Saia do comodismo e descubra onde seu cliente está. Você não precisa espalhar conteúdo em todas as plataformas digitais que seus clientes estão, basta marcar presença e agir onde o seu consumidor navega.

Personalização: Esse é um dos pontos que mais tornam o Inbound Marketing como uma estratégia diferenciada. Com o Inbound qualquer empresa pode tornar cada cliente único. Exclusividade e personalização façam a total diferença na decisão de um cliente.

Jornada de compra: Além de conquistar o interesse espontâneo das pessoas, também é imprescindível que esses passem a ser clientes recorrentes. Para isso, existem etapas da jornada de compra, que pode ser entendida com um roteiro de compra que todo consumidor passa antes da decisão da compra. Esse roteiro é composto por alguns pilares: descoberta do problema, oportunidade de resolvê-lo, descoberta da solução e por fim a decisão final: a Compra.

Para esse trajeto existe o Funil de Vendas, uma ferramenta com uma série de pontos importantes que ajudam o consumidor percorrê-lo até o final. No topo está o visitante, que descobre sua marca junto com o problema a ser resolvido. Esses visitantes que ocupam o topo do funil não possuem interesses específicos, por tanto, o Marketing de Conteúdo pode ser utilizado como uma ótima ferramenta de atração.

Quando os visitantes se interessam pelo conteúdo disponibilizado, eles passam a ser leads. Ou seja, eles se cadastram no seu site e estão dispostos a receber atualizações.

No terceiro estágio do funil temos a oportunidade. Agora é a hora de criar conteúdos ainda mais atraentes que possam gerar uma venda a partir da boa comunicação.

Ao final do funil de vendas, o cliente estará pronto para consumir o seu produto a partir do problema que eles descobriram lá na jornada de compra.

A persona é o seu cliente ideal. Antes de começar qualquer estratégia é importante que sua empresa crie um consumidor fictício, o qual vai representar o seu público-alvo. Essa definição vai além de sexo ou idade, entendendo-se para hobbies e interesses por exemplo.

A persona é uma característica ideal para a imagem da marca. Essa persona pode ser construída de maneira eficaz através de alguns meios como: entrevistas, pesquisas, interação na internet ou métricas.

Entendido alguns passos do Inbound Marketing, vamos desvendar a principal ferramenta, o Marketing de Conteúdo.

Já sabemos que a produção de conteúdo interessante e autoral é a melhor forma para atrair leads, agora vamos entender um pouco melhor como esse conteúdo gerado funciona.

A partir de três objetivos primários, o Marketing de Conteúdo constrói o sucesso que sua marca busca no Inbound Marketing. É importante frisar que não basta ser apenas conteúdo genérico, afinal, são conteúdos relevantes que atraem a atenção dos consumidores. Não foque em apenas falar da sua empresa ou marca, pois, isso pode tornar-se cansativo.

Os objetivos primários do Marketing de Conteúdo são três: Educar, Entreter e Informar.

Atrair mais leads, criar autoridade da marca referente ao assunto e informar sobre causas sociais são alguns dos efeitos que o Marketing de Conteúdo proporciona.

Um exemplo simples de entender como o marketing de conteúdo ser utilizado é o seguinte. Imagine uma loja virtual de roupas, qualquer uma. Possivelmente se você jogar essa marca na internet, as chances de encontrar um blog dessa marca são enormes. Pronto! É nesse blog que todo o trabalho de Inbound Marketing é feito. Com isso, benefícios são gerados com essa ferramenta, entre eles, maior tráfego para a loja, mais credibilidade, interação e nutrição de leads.

Os veículos do Marketing de Conteúdo são inúmeros, entre eles além dos blogs: E-books, redes sociais, e-mail marketing, vídeos, newsletter, webinars, infográficos ou podcasts.

Cada canal pode possuir um objetivo diferente, ou seja, é preciso que cada conteúdo seja ajustado de acordo com canal de mensagem escolhido. Por exemplo, um canal no Youtube pode ser o ponto de partida para webinar ao vivo, já os e-mails marketing podem levar os seus leads a baixarem e-books. Use a criatividade e descubra todos os benefícios que esses canais trazem!

Por fim, mas não menos importante: o SEO! Com ele, você consegue otimizar sites ou blogs para que ocupem posições de destaque no Google. A partir de palavras-chave bem escolhidas, é possível ranquear seu site na primeira página do Google de acordo com as pesquisas de seu público-alvo realiza.

Agora que já temos todo o entendimento do que é Inbound Marketing e como ele deve funcionar, vamos às etapas que são desenvolvidas a partir da ferramenta.

Atrair é uma das principais funções do Inbound, afinal, ele é pautado em atrair consumidores de forma espontânea. Diversas ferramentas e plataformas já citadas podem ser utilizadas para tal. Abuse do Marketing Digital como um todo para ter sucesso na atração de novos consumidores.

A conversão também é uma etapa do Inbound. Para que os consumidores não se percam em apenas visitantes, converte-los em leads é a principal arma. A conversão é entendida como o ato de entregar dados nos formulários de cadastros. Call to action, e-books e landing pages são algumas ações que incentivam esses consumidores a tornarem-se leads.

A relação através de ferramentas específicas também é diferencial. Essa relação pode ser entendida como a nutrição de leads através de conteúdos personalizados entregues através do e-mail marketing com ações promocionais ou newsletter por exemplo.

A quarta etapa do Inbound é voltada para a finalização das compras. Após gerar mais tráfego e aumentar a taxa de conversão, está na hora de ver o aumento na receita. O consumidor já descobriu que tem problema e agora ele está prestes a entender que a sua solução para esse problema é a melhor.

Através do Lead Scoring a análise para saber onde estão as oportunidades de vendas efetivas fica mais prática.

Imagine dois eixos, um referente ao perfil e o outro ao interesse. O primeiro eixo entende a partir de uma série de características, quem pode ser definido um lead em potencial. O segundo avalia o relacionamento construído entre lead e empresa, buscando classificar de acordo com cada etapa da jornada de compras.

As informações são passadas pra a equipe de vendas a fim de deixar o processo de vendas mais rápido e dinâmico. Com isso, o risco de perder vendas passa a ser reduzido já que a comunicação passa a ser direta de acordo com cada etapa da jornada de compras.

Além do Leading Score também existem outras ferramentas que auxiliam nessa etapa do Inbound, como o Inbound Sales e o CRM.

Alavancar as vendas é o objetivo principal do Inbound Marketing, porém, encantar e fidelizar também estão entre os principais benefícios que essa estratégia proporciona. É imprescindível continuar mantendo uma relação com os clientes que já compraram seu produto ou serviço. Construir a fidelização é a chave pra conquistar clientes satisfeitos que com certeza irão indicar sua marca, produto ou serviço para outras pessoas.

Com o Inbound Marketing ficou muito mais fácil fazer a mensuração de campanhas. Isso acontece a partir de ferramentas que aceleram o processo de descoberta dos erros anteriores. A mensuração com o Inbound é realizada em tempo real, o que facilita os ajustes necessários em determinadas campanhas. Existem analises que ajudam a construir um relatório com todas as informações necessárias: ROI, investimento por lead, taxa de conversão e investimento por visitantes.

Existem duas ferramentas que auxiliam na gestão do Inbound Marketing, essas facilitam a rotina na execução da estratégia, desde a mensuração, até a conversão de leads e alavancamento de vendas.

A RDstation é uma plataforma nacional que ajuda conquistar leads e tráfego em uma página, blog ou site e vendas. A RD possui atendimento exclusivo e os consultores são extremamente competentes e atenciosos. A plataforma é ideal para qualquer nível de empresa, seja em pequena, média ou grande.

A outra plataforma é a HubSpot, uma das mais famosas no ramo e segmento. Com ela é possível gerenciar leads e fechar vendas de maneira rápida e prática. A plataforma possui diversas ferramentas sobre marketing, vendas e relacionamento com o cliente.

Uma não é melhor que a outra, o ideal é pesquisar sobre as ferramentas e então decidir qual a se encaixa melhor no seu negócio. As duas facilitam a vida de qualquer empresa na elaboração do Inbound Marketing. 

Por que investir em Inbound Marketing?

Se você chegou até aqui provavelmente já percebeu as vantagens que o Inbound traz. Mas caso você ainda esteja com dúvidas em investir, fizemos um checklist especial para você:

- É extremamente mais barato comparado com outras estratégias;

- Fideliza consumidores de maneira quase automática;

- Atrai os consumidores certos, um dos fatores para ser mais rentável;

- Segmenta o público;

- Você não vai precisar ir atrás de consumidores, será encontrado espontaneamente;

- Muito mais fácil de realizar mensurações;

- Ajuda na construção da autoridade de qualquer marca;

- Com ele é possível criar uma necessidade para o cliente;

- Melhora a credibilidade e imagem de uma empresa;

- Facilita a comunicação com leads e clientes antigos;

- Existem ferramentas de baixo custo e gratuitas para auxiliar no Inbound;

- Passa-se a entender necessidades reais dos clientes e assim personalizar conteúdos;

- É um marketing permissivo e não invasivo, sendo mais aceito;

- Existem uma série e canais para serem trabalhados;

- Interação.

O Inbound Marketing é estratégia assertiva quando o objetivo é alavancar vendas. O consumidor é atraído por interesse genuíno, sendo apenas isso, um ótimo ganho para a marca. Com a SinalizeWeb você descobre a melhor forma de usar o Inbound com todos os benefícios que ele pode trazer. Não são apenas publicidades, mas sim, gerar consumidores fiéis a partir de conteúdo realmente relevantes no meio digital que irão gerar ganhos em todos os sentidos para a sua empresa.

Tenha ao seu lado parceiros especialistas em Inbound Marketing, como a Sinalize! Que desenvolveu esse conteúdo exclusivo para você entender uma maneira por todas como o Inbound funciona e como ele pode ser benéfico para o seu negócio! Qualquer dúvida estamos disponíveis para contato.

Tudo que você precisa saber sobre o Marketing de Performance

on Sexta, 17 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

O Marketing Digital é a grande aposta que qualquer empresa que queira crescer e ter reconhecimento precisa investir. Dentro do Marketing Digital existem diversas vertentes, entre elas, o Marketing de Performance.

O Marketing de Performance é focado 100% em resultados e costuma ser uma forma de mídia paga. Quando aliado a outras estratégias como o Tráfego Orgânico, os resultados são sempre positivos.

O Marketing de Performance precisa ser entendido como uma estratégia a qual antes de ser lançada deve estar totalmente direcionado ao seu público-alvo, afinal, o investimento nele é feito da seguinte forma: o custo não é fixo, pode ser variável de acordo com o número de vezes de visualização do seu anúncio, número de cliques ou leads gerados. Tudo depende dos meios que você vai escolher.

O método de custo por visualização ou impressão é chamado de CPM (custo por mil), mas você pode escolher pela quantidade de cliques que ele recebeu, o CPC (custo por clique).

A partir desse conceito é possível entender tudo que está ligado ao Marketing de Performance.

O Marketing traz altíssimas possibilidades de mensuração, um detalhe imprescindível principalmente para os e-commerces. Com o Marketing de Performance medir o alcance, a conversão, a desistência e muito mais ficou mais fácil. Com ele, você consegue saber qual campanha gerou mais resultados, em qual ponto da campanha o consumidor desistiu ou qual campanha não está dando resultados.

Com essas facilidades, o profissional que gerencia o Marketing de qualquer empresa consegue ser mais certeiro nas ações a serem feitas e nas quais ele precisa mudar a tática. Alguns exemplos de cenários são facilmente descobertos com isso, como por exemplo:

- O cliente vê o anúncio, mas raramente clica: Melhorar o texto, a imagem, deixar algo mais chamativo para aquele cliente, despertar a curiosidade pode trazer melhores resultados.

- Alta taxa de rejeição de um determinado anúncio: Nesse caso o direcionamento do anúncio pode não estar especificado para o target, ou pode estar com problemas de navegabilidade, melhorar o UX (experiência do usuário) pode melhorar esses índices.

- Vê o anúncio, clica no anúncio, põe o produto no carrinho, mas desiste da compra: Esse cenário pode acontecer por diversos motivos, entre eles, as formas de pagamentos oferecidas, a confiabilidade que em certo momento deixou a desejar, ou algum erro do próprio site na hora de finalizar a compra. A recuperação de carrinhos também auxilia e muito nesses casos.

Esses cenários são apenas alguns poucos exemplos que o Marketing de Performance traz com a analise de resultados, e essa é a principal diferença dele, pois, com altos números de analises confiáveis, ele é o único que proporciona você descobrir se a mídia escolhida é eficiente, ou se o canal escolhido é o melhor a ser investido e ainda se o site oferece os requisitos básicos de navegação.

Com isso, o gestor consegue ter números reais de acordo com o seu nicho e não se baseia apenas em número nacionais para investir no Marketing.

As Mídias de Performance mais famosas e que auxiliam no Marketing de Performance são muito conhecidas e provavelmente você as usa no dia a dia sem ter ideia do poder de alcance e resultados que essas mídias podem trazer.

Google Adwords: De certo o Adwords é a ferramenta de campanha mais utilizada. Com ele você veicula anúncios criados na rede de display – responsável por cerca de 90% do alcance de toda a internet – Permitindo assim, que o gestor escolha o tipo de lance a ser utilizado. Além disso, o Google Adwords também disponibiliza métricas que permitem a escolha do tipo de público que verá os anúncios.

Facebook Ads: O Facebook também disponibiliza uma ferramenta de anúncios, a qual também possui métricas e métodos para segmentar as campanhas criadas. Sua forma de cobrança é semelhante à do Google Adwords e dentro do conceito de Mídia de Performance, ou seja, o usuário paga de acordo com os resultados obtidos.

Instagram for Business: Existem empresas que são a cara do Instagram, como de viagens, restaurantes, entre outras. Com ele também é possível utilizar ferramentas voltadas a anúncios e campanhas na rede social. O Instagram for Business proporciona a criação de anúncios e recebe os pagamentos de acordo com o tempo que esses anúncios ficarem no ar e pelas conversões realizadas. Assim como as ferramentas citadas anteriormente, ele também fornece importantes métricas do perfil da sua empresa, para assim, você acertar cada vez mais em suas campanhas.

Com todos esses conceitos, agora é preciso pautar o seu plano de ação, planejar todas as estratégias a serem colocadas dentro das campanhas.

Primeiro, antes de investir no Marketing de Performance, é essencial que o seu plano estratégico esteja bem definido, para assim, os resultados positivos serem alcançados com mais facilidades e menos erros.

Para isso, verifique se sua persona está atualizada, se os objetivos a serem alcançados são reais, de modo que não sejam pautados em algo irreal de início e se estão bem definidos, além disso, estude bem o que está sendo colocado em prática para atingir esses objetivos.

Ajuste o necessário e parta para o próximo passo, que é entender o seu próprio foco.

O Marketing Digital como um todo proporciona que você escolha qual o tipo de resultado você quer atingir. Exemplo, se sua empresa é nova no nicho, o primeiro objetivo que você deve alcançar é a visibilidade online. Agora, se você está no mercado já tem um tempo, estude como anda a sua autoridade no assunto que você trabalha.

Se você já tem uma estratégia de Marketing em prática e já tem um bom tempo, está na hora de converter leads, caso ainda não tenha iniciado esse trabalho.

Com os objetivos bem definidos, você está pronto para direcionar a sua campanha de performance da melhor forma possível, com foco, para assim, não ter desvios no meio do caminho. É importante escolher os lances pensando em qual resultado você pretende atingir, com isso, você define bem o objetivo e consegue segui-lo de acordo com métricas e projeções, assim, é possível fazer manutenção das campanhas com maior confiabilidade.

Por fim, após planejar todos os pilares da sua campanha, está na hora de direcionar quem essa campanha deve atingir.

Analise bem o público que deve ser alcançado e aproveite da melhor forma as ferramentas que o Marketing de Performance traz na segmentação do público.

Com isso, pesquise, analise a estratégia dos concorrentes e sempre mantenha-se informado sobre a área que pode ser alcançada o quanto antes de definir quem sua campanha vai atingir.

Quanto melhor esses pontos estiverem definidos, mais chances do sucesso ser alcançado.

Ter um auxílio de quem entende do assunto pode ser um diferencial, por isso, a SinalizeWeb Agência de Marketing Digital está com você para o que for preciso. Se ainda tiver dúvidas de como o Marketing de performance pode ajudar o seu negócio, basta contata-nos para resolvermos da melhor forma todas as dúvidas existentes!

Como obter sucesso com Marketing de 360 graus

on Segunda, 13 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Ao navegar no Facebook você se depara com um anúncio de um tênis super charmoso, clicou no anúncio mas por um motivo X, você não realizou a compra. A partir disso, esse tênis passou a aparecer com ainda mais frequência no seu feed do Facebook, no YouTube, Instagram entre outros. Quem nunca se deparou com esse cenário? Isso faz parte do Marketing 360!

A ação de enviar mensagens, promoções, anúncios de modo consistente em todos os pontos possíveis de comunicação, é conhecido como Marketing 360°. Essa estratégia pode ser utilizada nos mais diversificados meios como televisão, impressos, pontos de venda, mídias digitais e campanhas sociais.

Uma boa estratégia de Marketing 360° começa muito antes da venda ser efetuada e continua após a conversão. É necessário que sua loja acompanhe todo o período de compra do cliente. Busque entender o que seu público-alvo quer, quais suas dúvidas e os meios de comunicação que ele está. Com essas informações é possível pautar uma boa campanha de Marketing 360°.

O Branding, que pode ser entendido como a percepção da sua marca perante o consumidor, precisa ser trabalhado constantemente. Faça seu público-alvo entender que o serviço ou produto que ele procura a sua marca oferece e é a melhor. Para isso, você pode usar do Marketing de Conteúdo para atrair esses consumidores, com assuntos interessantes e pertinentes ao seu nicho. Com isso, você tem uma ótima base para nutrir seu público-alvo em todas as redes que ele se encontra.

Antes de tudo, vamos ajudar você a entender conceitos que englobam essa estratégia explicando os principais pilares do Marketing 360°:

SEO: Começando com o SEO, você consegue ranquear todo o seu conteúdo para as primeiras páginas do Google. É importante entender que nada adianta ter ótimos conteúdos, produtos e serviços se você não é “encontrável” nos mecanismos de buscas, meio responsável por 93% de todos os acessos na internet. Se tiver um blog, use todos os métodos para esse estar ranqueado e sempre compartilhe os conteúdos dispostos nele.

PPC ou CPC (custo por clique): Aqui é possível atrair visitantes. Facebook e Google são boas plataformas para investir nesse método que consiste basicamente em ter um custo cobrado a cada clique de determinada campanha. Lembre-se sempre de usar palavras-chave de acordo com o seu negócio e monitorar constantemente suas campanhas.

Relacionamento: Após atrair esse target, é importante manter um bom relacionamento para encantar esse consumidor de modo que ele venha a ser um cliente fiel no futuro. Lembre-se que como já citado, essa comunicação deve ir além da finalização da compra. O ótimo atendimento irá tornar um potencial consumidor em um consumidor recorrente, um ponto que traz diferencial para o nome da sua marca e lucros comprovados. Utilize ferramentas de CRM e lembre-se sempre de oferecer um atendimento personalizado.

E-mail Marketing: Um ótimo modo de gerir o relacionamento exclusivo é através do E-mail Marketing. Um método que ainda traz benefícios quando usado com conteúdos específicos e de qualidade para o consumidor do seu nicho de mercado.

Inbound Marketing: Através do Inbound Marketing é possível captar Leads voluntariamente. Esses leads são consumidores que de certa forma demonstraram interesse na sua marca. Nutrir os leads através do Inbound Marketing ajuda esses consumidores em potencial a passar por todos os estágios do funil de vendas chegando ao objetivo final: a conversão.

Social Media: A Social Media ou Mídias Sociais também são ótimas formas de engajar o público-alvo. Esteja presente nas redes sociais, Facebook, Linkedin, Twitter. Mantenha um relacionamento mais aberto e presente com o consumidor. Além disso, as Mídias Sociais podem aumentar mais ainda o alcance da sua marca. Esteja onde seu público-alvo está.

Conteúdo: Mais uma vez, a produção de conteúdo como um todo se faz presente. Investir nesse método é o que pode garantir mais resultados positivos para seus objetivos. Tudo que seu negócio produzir com respeito a conteúdo como imagens, infográficos, textos, vídeos, e-books, etc, pode e deve ser utilizado como uma ferramenta de marketing. Utilize-o como meio de posicionar-se como referência no seu nicho de mercado, aumentar a imagem da sua marca diante dos clientes recorrentes, consumidores em geral e leads, além de ser também um ótimo meio de aumentar o tráfego orgânico do seu site e por fim, converter vendas. Ufa! O conteúdo na maioria das vezes garante um ROI positivo.

Web Site: Por fim, mas não menos importante, fechando esse ciclo, temos o Web Site. É nele que todas essas ações vão terminar. Não adianta ter toda essa estrutura muito bem pautada se o seu web site não convence o usuário na primeira impressão. Todo web site precisa passar confiança, ter informações claras e objetivas, ter boa navegação tanto em desktop quanto em smartphones – E é nesse ponto que muitas empresas pecam – Hoje o mobile é responsável por grande parte da navegação na internet, então, ter um site responsivo é o mínimo que você deve oferecer. Conheça e invista em UX, uma nova onda em crescimento que atrai resultados positivos.

Trate sempre seu usuário como exclusivo, com personalização. Assim, a tendência é que ele sinta-se parte de uma comunidade exclusiva. Estude bem cada tópico citado e paute da melhor forma suas estratégias. Se você precisar de um auxilio ou consultoria, a SinalizeWeb Agência de Marketing Digital esta à disposição para tirar qualquer dúvida!

Internet das Coisas – O que é e como pode ser usada

on Sexta, 10 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

A revolução tecnológica está cada dia mais presente no cotidiano com inovações que visam facilitar as tarefas do dia a dia. Com isso, vem fortalecendo cada vez mais o conceito que traduzido do inglês: Internet of ThingsIoT – pode ser entendido como a Internet de Todas as coisas, ou apenas “Internet das Coisas”, o termo mais usado na definição do conceito.

O que é a Internet das Coisas?

A Internet das Coisas pode ser entendida como a conexão via internet de tudo que possa de alguma forma facilitar a nossa vida. Atualmente existem exemplos que provavelmente você convive no dia a dia, mas que não fazia, até então, ideia que pertencia ao conceito de Internet das Coisas, fazendo parte de uma grande revolução.

Essa revolução se diz respeito ao modo que hoje e futuramente iremos nos relacionar com as coisas e, até mesmo, elas conosco. As possibilidades da evolução da tecnologia são inúmeras, e é por isso que esse conceito vem se fortalecendo tanto.

Em um resumo simples e fácil de ser entendida, a internet das coisas é o modo como as coisas conectam-se e comunicam-se com o usuário e entre si, por meio de softwares e sensores extremamente inteligentes que transmitem os dados para uma determinada rede.

O resultado da IoT é um planeta mais inteligente e responsivo por meio de um grande sistema que possibilita a troca de informações entre dois ou mais pontos.

A Internet das Coisas Utilizada no Dia a Dia.

Essa tecnologia pode ser aplicada em tudo – literalmente tudo – qualquer “coisa” pode ser capaz de ter um sistema responsivo e inteligente. Exemplos comuns no mundo atual são os óculos de realidade virtual que proporcionam ao usuário uma experiência de imersão em um “mundo paralelo” criado de maneira a simular gestos, pessoas e muito mais.

Outro exemplo de como essa conexão pode ser usada, é por meio da Smart TV, onde você consegue assistir filmes online por meio da Netflix, usar Spotify e qualquer outro aplicativo que permita o acesso via internet.

Os atuais videogames em sua maioria exigem conexão com a internet para ainda mais interação entre usuários – esse cenário não era imaginado nem mesmo com o não tão antigo, Play Station 1 e muito menos com o Atari, por exemplo – Mas, além disso, existem outros objetos grandes ou pequenos que também podem ou poderão beneficiar-se da IoT, entre esses objetos estão coisas simples como relógios, lâmpadas e coisas mais complexas como geladeiras e carros.

Em geladeiras essa tecnologia pode ser usada de modo que a mesma identifique quando algo está para vencer e realize uma pesquisa nos mercados próximos para encontrar o menor preço. Assim, além de evitar o desperdício, também é possível economizar dinheiro e tempo.

Em carros, já está em processo um meio para que o motorista seja identificado e a partir disso, são passadas informações de trânsito, temperatura, preferência musical e muito mais.

A IoT veio não para que você tenha mais um meio para se conectar a internet, mas sim para que facilite a nossa vida com objetos mais eficientes, inteligentes e responsivos, como uma extensão da nossa consciência. Com o IoT os dados passam a ser utilizados para mais informação e conhecimento, dando um sentido diferente para os números ou as lógicas.

As áreas que a IoT atua vão além de tudo que se possa imaginar, desde agropecuária até a área hospitalar, passando também pelo marketing.

Todo esse conceito vem sendo discutido há muito mais tempo do que se imagina. Em 1991 a interação com os objetos já era discutido, porém, apenas em 1999 o termo foi criado por Kevin Ashton e desde então o termo e suas variantes vem sendo trabalhados para que futuramente, essa interação seja algo não apenas imaginável, mas sim real em todos os campos que haja a possibilidade da interação das coisas.

A Internet das Coisas possui um grande potencial na movimentação da economia. O Brasil é o país onde esse conceito é mais aceito, segundo a pesquisa da Worldplay. Segundo o estudo, o Brasil é o país que mais acredita na interatividade dos dispositivos, como parte da evolução entre a relação do público e empresas.

Gostou desse artigo? A SinalizeWeb sempre está de olho no que acontece no Brasil e no mundo. Acesse nosso blog e fique por dentro e informado da evolução da tecnologia como um todo!

Descubra como SEO pode impactar o seu negócio

on Quarta, 08 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Estar ausente na Internet por vezes pode significar perda de mercado para a concorrência e perda de vendas com conquista de novos públicos. Hoje o mundo está amplamente conectado, e não se pode mais pensar em Marketing sem ter o Digital como princípio básico e presença nas estratégias pautadas.

Pode-se dizer que a internet possui espaço para tudo e todos. Porém, esse mesmo conceito pode dificultar que a sua empresa seja encontrada pelo público-alvo. E é nesse contexto que o SEO entra.

O Search Engine Optimization nada mais é que um conjunto de estratégias voltadas à Otimização de para Sites de Buscas. O SEO tem como objetivo melhorar o ranqueamento nas páginas dos buscadores como o Google. Uma vez bem posicionado, seu negócio colherá ótimos resultados.

Mas antes, é preciso entender que diferente dos Anúncios Pagos, o SEO é um trabalho a ser feito a longo prazo. Os resultados não são vistos em questão de horas, mas sim, meses de trabalho por questões dos mecanismos usados pelos sites de buscas mudarem com certa frequência.

Antes de tomar uma decisão de compra, é comum que as pessoas pesquisem em sites de buscas, destas, 90% recorrem ao Google. Ao pesquisar sobre um determinado tema ou produto, nota-se que essa pessoa possui um problema que precisa ser selecionado. Se a sua empresa trata do assunto ou possui exatamente o produto que ela procura, mas não está bem posicionada no Google, significa que você perdeu uma venda.

O SEO é capaz de gerar tráfego qualificado para o seu site, uma vez que por meio de buscas orgânicas, a pessoa que está disposta a conhecer o negócio ou produto oferecido pela sua empresa, chegou até você por conta própria sem outros fatores influenciando a escolha. Uma vez que existe esse interesse, as chances de conversão com o SEO são cada vez mais altas. Além disso, com o SEO você não paga por cliques e o seu site não aparece como anúncio, isso gera mais confiança para quem está buscando.

Uma vez bem posicionado no Google através do SEO, essa relevância dificilmente será perdida. Ao contrário da Mídia Paga que ao não ser mais patrocinada, o seu site pode voltar a ficar mal posicionado.

Bom, já sabemos que a receita gerada a partir do tráfego orgânico pode ser muito maior que a vinda de outros meios, além disso, sabemos que o tráfego gerado pelo mesmo possui ainda mais poder de conversão que os demais e também sabemos que o Google, mecanismo para qual as buscas são otimizadas, representa 90% de todas as pesquisas. Agora, você sabia também que, de todo o tráfego na Internet, 81% se dá a partir dos mecanismos de buscas?

Com esses dados é possível ter uma percepção do quanto você pode estar deixando de ganhar por não investir em SEO. As ações e estratégias realizadas para que esse posicionamento seja na primeira página são pautadas em pontos como palavras-chave, hierarquia no HTML e outros pontos que a SinalizeWeb Agência de Marketing Digital é especializada em otimizar.

Não perca mais tempo e traga o seu negócio para a SinalizeWeb e veja os resultados aparecerem. Contate-nos agora mesmo e descubra os benefícios que o SEO traz para os seus negócios!

Como escolher a Agência de Marketing Digital?

on Terça, 07 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

O Marketing Digital pode ser entendido como uma extensão do Marketing Tradicional, porém, com ainda mais poder de alcance, uma vez que estar na internet pode significar rápida viralização de conteúdos, produtos ou serviços.

Dentro dessa visão, investir em Marketing Digital é imprescindível para quem deseja um dia reconhecimento. As vezes o empreendedor, por não entender como faz ou funciona, acha que o Marketing Digital pode ser “besteira” ou algo desnecessário dentro das ações de marketing.

A terceirização dessa tarefa é comum, uma vez que o time de marketing das empresas nem sempre está familiarizado com os conceitos, estratégias e operações que são realizadas dentro do Marketing Digital.

Com isso, surge a pergunta: Como escolher a melhor Agência de Marketing Digital?

A SinalizeWeb trouxe alguns pontos que são indispensáveis na analise para escolher a melhor entre tantas que existem hoje no mercado.

Antes de sair em busca de uma Agência de Marketing Digital para aumentar a performance do seu negócio, analise as necessidades do seu negócio junto com a sua equipe. Paute lacunas a serem preenchidas com o Marketing Digital e com elas trace objetivos a longo ou curto prazo. Além disso, responda você mesmo às seguintes perguntas para que os objetivos e necessidades estejam ainda mais transparecidos:

- Porque sua empresa está optando pelos serviços de uma Agência de Marketing Digital?

- Qual as suas expectativas referentes a essa empresa?

- Quais resultados almeja alcançar com esse novo investimento?

Ao ter isso em mente, você consegue analisar melhor cada agência e escolher a que mais se adapta às suas necessidades.

Vamos entender um caso prático de necessidade e objetivo. Você definiu que um determinado produto precisa de campanha no AdWords, porém, sua equipe não tem o conhecimento da ferramenta e da melhor forma de executa-la. Com esse cenário, uma Agência pode ser útil e trazer os resultados desejados.

Outro aspecto importe na melhor escolha, é conhecer o histórico da Agência de Marketing Digital. Consulte o site, leia a história dela, confira os cases. O Marketing Digital não chega a ser tão antigo e uma Agência ter 30 anos de mercado pode não dizer muita coisa, principalmente quando se diz respeito ao seu Know How com estratégias de Marketing Digital que vem mudando com o tempo.

Por outro lado, décadas de funcionamento demonstram que a Agência possui consolidação no mercado. Empresas com mais tempo de mercado possuem mais cases para analisar.

Por isso, com essa incerteza quando a questão é o histórico da empresa, também é imprescindível avaliar outros fatores como:

- Certificações e Parcerias: Pesquise se a agência tem parcerias de peso e certificações importantes como as do Google, por exemplo.

- Premiações e Eventos: Conheça os prêmios que a Agência possui, eventos participados ou organizados.

- Notícias na mídia: Nada como uma simples pesquisa para saber um pouco mais das notícias relevantes que citam a Agência analisada.

- Serviços anexados com o tempo: Descubra como foi evolução dos serviços oferecidos pela Agência contratante.

Como já citado, avaliar os casos de sucesso pode ser uma boa fonte de tomada de decisão, afinal, não tem como fechar um negócio sem saber os antecedentes trabalhos realizados. Normalmente as Agências expõem parte dos seus cases no próprio site. Caso não tenha todas as informações que você julga necessárias no site, não hesite em solicitar um conteúdo mais completo referente à como o trabalho é desenvolvido e os resultados do mesmo.

Outra forma de aprofundar-se mais no conhecimento da Agência de Marketing Digital é conversar com outros clientes atendidos. Muitas Agências mostram em seu próprio site uma cartela de clientes atendidos, assim como seus feedbacks afim de provar sua existência social.

Claro que todo esse trabalho possui um enorme valor, porém, trabalhar com base apenas no marketing que a própria Agência oferece pode ser pouco. Por isso, aproveite para entrar em contato com esses clientes, marque reuniões presenciais ou virtuais e entenda como o trabalho foi desenvolvido com determinado cliente. Tire suas dúvidas e avance mais um passo na escolha da melhor Agência.

Analisar os canais de comunicação da Agência também pode trazer respostas. Consulte redes sociais, sites, blogs e avalie se os conteúdos dessas plataformas são de qualidade. Nada melhor que escolher uma Agência de Marketing Digital avaliando o Marketing Digital que ela faz para ela própria.

Entender o sistema organizacional das Agências também pode ser um fator de relevância, então, visite a Agência de Marketing Digital, converse com os profissionais e analise a satisfação deles no local de trabalho. A felicidade dos colaboradores está diretamente ligada ao lado produtivo e motivacional. Observe o conforto oferecido, a descontração e a recepção, afinal, esses fatores fazem qualquer cliente sentir-se em casa. Em equipes compostas por muito jovens deve ser analisada a vontade de crescer, o desenvolvimento profissional e a determinação.

E por fim, pesquise os preços. Leve em consideração o quanto será o custo final do investimento em Marketing Digital. Esse é o diferencial para a escolha da melhor Agência, não pense como um gasto, mas sim como um investimento de alto retorno.

Ao escolher o melhor serviço, você poderá deparar-se com Agências recém-criadas ou autônomos que costumam cobrar um valor abaixo do praticado no mercado. A escolha por esses profissionais pode custar caro depois, visto que a capacidade de retorno de resultados pode ser prejudicada.

Valorize o custo/benefício das Agências de Marketing Digital, pois, assim não há riscos de optar por um pequeno preço e ficar na mão na espera de resultados.

Você precisará pegar toda a informação colhida nos tópicos anteriores e escolher o serviço que melhor se encaixa nas suas necessidades. Assim, nem sempre você precisará pagar por um combo de serviços, por exemplo.

Escolher a melhor Agência de Marketing Digital pode ser desafiador, mas uma vez feita a escolha certa, os resultados positivos irão se multiplicar cada vez mais!

A SinalizeWeb trabalha com excelência para que todos os serviços gerem resultados de excelência. Consulte-nos para conhecer um pouco mais dos nossos métodos de trabalho. Escolher a SinalizeWeb é não ter arrependimentos!

O que você não sabia sobre o ranqueamento orgânico no Google

on Segunda, 06 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Bom, primeiro vamos a um ponto muito importante que com certeza você já sabe mas é sempre bom lembrar: trabalhar o ranqueamento orgânico é um investimento a longo prazo.

Comumente esse trabalho de ranqueamento não é pago ao Google, mas sim, conta com o auxilio de uma Agência de Marketing Digital especializada como a SinalizeWeb, pois, estar bem posicionado depende de ações específicas e lógicas que apenas quem possui domínio consegue trabalha-las em conjunto para a obtenção do sucesso.

Muita gente não sabe, mas, ao colocar um site no ar o Google não sabe que ele existe. Em outras palavras, ele não consegue saber qual site está no ar ou não, ele indexa de acordo com a relevância. A partir disso, mesmo que a pessoa digite o nome do seu site na barra de pesquisas do Google, pode ser que ele não apareça. Isso acontece porque ele não está indexado (cadastrado) no banco de dados do Google.

Essa indexação pode acontecer automaticamente, por exemplo, quando o Google “passa” por um site onde existe um link indicado para o seu endereço. A partir disso ele vai colher informações e disponibiliza-lo quando for feita uma pesquisa.

Outro meio de ter esse cadastro, é adquirindo a fermenta Web Master Tools conhecida também como Search Console. Ao cadastrar seu site nessas ferramentas, automaticamente o Google percebe a existência e passa a colher dados e disponibiliza-los para você. Esses dados são extremamente úteis quando a questão é posicionamento orgânico, pois, eles trazem as principais palavras-chave que geram tráfego para o seu site ou uma determinada página. Com isso, fica mais fácil trabalhar essas palavras-chave para posicionamento.

Existem funcionalidades em um site que são desconhecidas para a maior parte das pessoas. As Tags são uma delas. O Title é o título do site, aquele que aparece em azul quando um site é pesquisado no Google. É de suma importância que o Title esteja bem formulado. Esse Title não pode conter informações demais, devem conter apenas os principais ou o principal termo que leva tráfego para uma determina página.

Além dos Titles também existem as Descriptions, essas são aqueles mini textos que aparecem logo abaixo do Title quando é realizada uma pesquisa no Google. A Description deve ser escrita de forma que explique para o que serve aquela página, produto ou serviço. É importante que haja um trabalho profissional na elaboração dessa descrição. Tome cuidado com o número de caracteres também nesse campo, pois, Descriptions com o tamanho fora dos padrões de exibição possuem altas chances de serem cortadas sem mostrar toda a informação que você desejava passar.

Esses passos ajudam na indexação e no posicionamento orgânico. Mas, também existem fatores que contribuem para o não posicionamento. Entre esses fatores está a linguagem que o site foi escrito. Java e Flash podem dificultar a indexação que por sua vez, penalizam o posicionamento, levando-o a nem aparecer mesmo que seja digitado o nome completo do site.

Como já citamos anteriormente, um site criado a pouco tempo pode ter dificuldades de ser encontrado, por sua vez, se você encaixa-se nessa situação, siga os passos dados acima e trabalhe Link Building para o Google ter cada vez mais conhecimento do seu domínio.

Além de problemas na indexação, pode acontecer de estar indexado, porém, com mal posicionamento. Isso acontece quando as tags, por exemplo, não estão descritas da melhor forma possível utilizando-se dos principais termos e palavras-chave.

Se você tem dúvida quando a indexação ou não do site, digite “site:www.domínio-do-seu-site.com.br” na barra de buscas. Se a resposta do Google for "Sua pesquisa - site:www.domínio-do-seu-site.com.br - não encontrou nenhum documento correspondente" significará que de fato ele não está indexado e não irá aparecer em qualquer busca que seja realizada.

Além de todo esse conteúdo de trabalho de HTML, na maioria das vezes, existe ainda outro ponto também no HTML de total importância. São as Heading Tags. Elas definem os termos de maior importância em uma página e possuem uma ordem que permitem ao Google entender do que se trata determinada página e suas variações.

O <H1> sempre deverá ser o título/termo mais importante da página. Após descobrir qual a palavra-chave que melhor se encaixa em determinada página, você deverá defini-la no seu HTML como o <H1>. Os subtítulos costumam ser o <H2> e devem ser o segundo termo que mais gera tráfego. Utiliza-se normalmente, termos semelhantes ou variações. Assim segue-se para as Heading Tags <H3> <H4> <H5> e assim por diante. Lembre-se, um site não deve ter mais que um <H1>, pois, isso pode confundir e atrapalhar os mecanismos de ranqueamento do Google.

Essas Heading Tags podem ser visualizadas a partir de plug-in no Google Chrome. Assim, você consegue saber também quais as Heading Tags que seu concorrente usa e descobrir termos ainda melhores.

O nome dado aos robôs que navegam pelos links das páginas é Googlebot. Um robô que encontra páginas e conteúdos afim de indexa-los. Mas, você pode ter páginas que não deseja ser indexadas. Essas podem ser intranet de uma empresa, Landing Pages com conteúdos similares, páginas de filtros de produtos, entre outros.

Configurar o robots.txt é um meio de evitar a indexação desse conteúdo quando o Googlebot passar pelo seu site. Essa configuração é feita por meio de um bloco de notas, a partir disso, é possível controlar qual informação de um site deve ou não ser indexada nos sites de buscas. A disposição do arquivo é bem simples, deve-se ser colocada pelo webmaster responsável pelo site na raiz da hospedagem. O Google usa um arquivo em http://www.google.com/robots.txt clique e confira!

O sitemap.xml também é indispensável ter uma boa configuração, pois, esse é usado como um índice para os buscadores, facilitando assim, o acesso para páginas e arquivos. Porém, é importante salientar que é muito mais importante ter um site facilmente rastreável para os robôs do que utilizar o sitemap.xml para contornar falhas na arquitetura do site.

Esses são alguns pontos que precisam ser levados em conta para o início de qualquer projeto SEO. Sem essas colunas bem pautadas, todo o trabalho pode sofrer com péssimos resultados.

A SinalizeWeb é especialista em consultoria SEO, por isso, trazemos cada vez mais conteúdo diversificado para você entender como o SEO é lapidado. A partir disso, você conhece ainda mais nossos serviços entendendo como é feito de maneira transparente.

Como evitar a perda de clientes recorrentes

on Segunda, 06 Novembro 2017.

Perder clientes vem se mostrando algo comum no mercado, porém, isso não precisa ser comum para a sua empresa. Nesse artigo trazemos algumas dicas para você manter aquele cliente recorrente sempre fiel à sua marca.

Diante das diversas opções que sempre surgem no mercado, é preciso ter em mente que fidelizar um cliente que já conhece a sua marca e compra dela, é mais barato que conquistar um novo. Por isso é tão importante investir em estratégias de fidelização e manutenção desses para que um dia eles não partam para a concorrência.

Um cliente recorrente precisa de tanta atenção quanto um novo, pois, aquele consumidor está familiarizado com a sua empresa, então as chances de ele escolhe-la no meio de outras é alta. Por isso, não padronize o atendimento com esse consumidor, mostre-o sempre como ele é importante para o seu negócio, faça-o sempre sentir-se especial e bem tratado na sua empresa. O contato é sempre importante seja por E-mail, Facebook, Whatsapp entre outros. A tendência de ter um atendimento personalizado faz com que esse consumidor venha a ser cada vez mais recorrente.

Escutar o cliente recorrente vai ajudar você a melhorar processos para ele próprio e também quando for necessária a prospecção de novos. Ouvir um cliente recorrente é benéfico para os dois lados, pois, o cliente sente-se cada vez mais amparado com uma marca que escuta-o e para o empreendedor que através disso consegue solucionar problemas que apenas alguém que compra com recorrência consegue detectar. A forma que essa informação pode ser colhida é diversificada e depende da relação com o seu cliente. Formulários e pesquisas de satisfação são ótimos meios, sejam anônimas ou não. Além disso, você também pode contata-los por e-mail, telefone, entre outros.

Monitore a concorrência e faça diferente. Cada dia nasce um concorrente novo, com ideias novas e meios diversos de conquistar aquela fatia de mercado que já é sua. Se você não vigiar de perto esses meios pelo qual o seu concorrente mantém ou atrai novos clientes, você pode perder os seus por defasagem. Assim, você descobre o que seu concorrente oferece e seus pontos fortes, a partir disso é possível criar estratégias eficazes.

Descubra o que seus concorrentes oferecem e ofereça ainda mais produtos ou serviços por diferentes preços para quem é recorrente a sua marca, ou então, deixe claro os benefícios que esse consumidor recebe ao ser fiel. Exemplo, se determinados concorrentes oferecem prazos iguais ou semelhantes, ofereça prazos diferenciados para os seus clientes recorrentes de modo que fique claro que ele está tendo privilégios por ser um cliente fiel.

O ponto de negociação de valores pode ser uma grande estratégia na manutenção da fidelidade dos clientes. Através das pesquisas você consegue saber se os preços podem influenciar na escolha do concorrente ao invés da sua empresa. Ceder promoções para esses consumidores fidelizados pode ser o melhor meio de faze-lo pertencente a uma parcela exclusiva.

É necessário ter sempre em mente que a base do seu negócio é o seu cliente, que todas as estratégias devem rodar de acordo com o que seu cliente deseja ou necessita. Consumidor recorrente é difícil de conquistar, por isso, valorize-os, assim, a perda dos mesmos diminuirá cada vez mais!

A SinalizeWeb trabalha sempre para que os seus clientes estejam em perfeita satisfação!

Poucas vendas? Veja como resolver!

on Quarta, 01 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Ainda está sentindo o efeito da crise no seu negócio? De uns tempos para cá, muitos lojitas reclamam das baixas vendas e dificuldades de prospecção de novos negócios. Isso acontece porque além da crise ainda fazer parte do cenário brasileiro, o consumidor está cada vez mais dividido entre mais de um produto ou serviço a ser escolhido. Além disso, esse consumidor anda cada vez mais exigente.

Quando a meta não é batida, é perceptível sentimentos de frustação, seja para um vendedor de loja física ou para quem está na internet. Ao passar o mês, parece que o desafio é ainda maior do que realmente é.

Existem estratégias que podem ser usadas a partir de agora para resolver problemas de baixas vendas e uma delas é o Networking. Fácil de ser executado, o networking consiste no famoso e antigo “Quem Indica”. Marque presença em feiras, eventos, reuniões. Faça as pessoas falarem da sua marca. Use os meios digitais, participe de fóruns, grupos de discussão entre outros. O “boca a boca” ainda é um forte método para a prospecção de novas vendas, não deixe-o de lado. A melhor maneira de conquistar indicações é estar presente em vários, diversos, muitos lugares!

O Inbound Marketing também pode ser um grande aliado quando a questão é Branding e valor agregado à marca. Reforce para o seu consumidor que quando ele consome a sua marca, ele não está comprando apenas um produto ou serviço, mas sim, está vivenciando novas experiências e fazendo parte de um grupo exclusivo. Vemos isso em grandes marcas como Coca-Cola e Apple, onde as pessoas pagam valores maiores que os dos praticados no mercado por sentirem-se pertencentes a um determinado grupo. Use o Inbound Marketing para criar conteúdos exclusivos que agreguem valor à marca, passando e desenvolvendo a imagem de que você se preocupa com o bem-estar dos seus clientes, com dicas, conteúdo de aprendizagem entre outros.

Na loja física os vendedores são os maiores auxiliares na prospecção de novas vendas. Saiba que na internet, essas pessoas também podem estar presentes com alto poder de influência na decisão dos clientes. Adicione chatbox na sua loja virtual, use-as como meio de tirar dúvidas simultaneamente com o seu cliente. Essa resposta rápida e direta pode ser um diferencial no número final de vendas. Mas lembre-se, as pessoas que estarão no chatbox precisam ter total conhecimento do produto e da sua marca para que as dúvidas sejam totalmente sanadas.

Um processo de vendas bem definido no físico e online pode ser prejudicial se não for bem estruturado. Na loja física o vendedor precisa conhecer o Lead         que está presente e a partir disso ter as ações bem definidas para que a venda seja efetuada. No online isso também acontece, seu site precisa ser de um certo modo “instintivo”. Sem complicações até o carrinho, disponibilize cesta ou lista de pedidos, deixa a área de compra o mais limpa possível e certifique-se que esteja sempre funcionando da melhor maneira para não ter desistências no meio do caminho. Na internet, muitas vendas deixam de ser convertidas por erros do próprio site.

Analisar a performance também é de extrema importância quando a questão é vendas, pois, se em determinado mês você notou vendas baixas, é preciso descobrir a fundo o que causou. Paute estratégias de mensuração de resultados e analise-os com muita atenção. Relatórios também são de grande ajuda nessa analise, seja no online ou físico. Busque ferramentas que tragam essas analises completas como a RDstation, Google Analytics entre outras. Saber onde foi o erro é o principal passo para começar o planejamento do mês seguinte.

Outro ponto que faz diferença na hora de fechar novas vendas é treinar seus vendedores/comercial para que eles saibam lidar com as situações de maneira positiva sempre instigando o cliente a fechar o contrato ou realizar a compra. Os feedbacks são imprescindíveis para essas pessoas, pois, uma vez que elas sabem onde estão errando ou acertando, no próximo momento aquele erro não será mais cometido e aquele ponto forte estará cada vez mais evidenciado. Outro ponto que ajuda nessa evolução, é pautar uma matriz de habilidades com as característica julgadas necessárias para desenvolver a melhor performance possível.

Sazonalidades nas vendas existem, o ideal é antecipar-se a elas. Mas, se você está em um período que as vendas eram para estar deslanchando, siga essas dicas e veja como suas vendas podem aumentar com organização, conteúdo e analises.

Gostou das nossas dicas? A SinalizeWeb está sempre preocupada com o mercado como um todo, por isso, procuramos nesse artigo ajudar você a sair da crise decolando!

<<  1 [23 4 5 6  >>  

Destaques


  • Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

  • Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

  • Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

    Notice: Undefined property: stdClass::$file in /usr/local/apache2/htdocs/sinalizeweb/templates/rose/html/mod_zooitem/uikit3_list.php on line 46

AUDITORIA SEO - Obtenha uma Degustação 100% OFF



© 2018 Sinalize Web Agência de Marketing LTDA . Todos os direitos reservados.