SEO, ou “Search Engine Optimization” (otimização dos mecanismos de busca), é a síntese de qualquer estratégia de conteúdo voltado para os veículos de comunicação virtuais. Basicamente, trata-se de processos técnicos aplicados dentro do processo criativo de produção de conteúdo.

Dessa forma, tanto este material, como o local em que ele se encontra, seja visto pelos mecanismos de busca. Tudo de maneira orgânica, sem anúncios pagos.

Embora em sua essência seja voltado para qualquer conteúdo escrito, ele é facilmente aplicável em vídeos, imagens, e-commerces, branding… Existem muitas aplicações, Ainda assim, pensar em um conteúdo otimizado para os mecanismos de busca muitas vezes é visto como algo secundário, ou ainda, como um custo.

O intuito deste artigo é não apenas desmistificar os elementos que compõem o SEO, como também mostrar com alguns exemplos práticos a sua importância. Ao final, você verá que todo conteúdo pode ser melhor direcionado e pensado com atitudes simples, porém fundamentais para o seu empreendimento, seja ele qual for.

Leia também: Conceitos de Marketing Digital

 

O “Top 10 do Google” e por que você deveria estar nele

Se você não entendeu o conceito do título, vamos lhe mostrar um exemplo prático. Faça agora uma pesquisa no Google do seu segmento favorito, seja ele um hobby ou algo relacionado ao seu negócio. Em segundos, o buscador irá lhe mostrar todos os resultados.

Atualmente, eles se apresentam da seguinte forma:

  • Anúncios pagos
  • Snippets (explicaremos adiante do que se trata)
  • Resultados Orgânicos
  • Pesquisas relacionadas

Todos esses tópicos listados acima são apresentados de forma que o Google julga quais são as respostas mais adequadas para o termo pesquisado pelo usuário. Essa avaliação é feita através de diversos fatores, que são desconhecidos pelos gestores de conteúdo.

E não, não há meios de descobrir diretamente. Esse é o papel do analista de SEO: através das atualizações que o Google anuncia para alguns dos critérios de avaliação, são feitos os ajustes e estratégias para garantir que o seu empreendimento esteja no topo das pesquisas.

 

Qual a diferença entre tráfego orgânico e tráfego pago?

Basicamente, o tráfego paga é aquele que uma marca ou indivíduo paga diretamente para estar entre as primeiras posições. No Google Ads, por exemplo, isso é definido por lances leiloados, cujos valores variam de acordo com o volume de pesquisas de uma palavra-chave.

Por sua vez, o tráfego orgânico é a pesquisa feita diretamente pelos usuários, que fazem perguntas, buscam por produtos e serviços, entre outros tipos de termos que os façam ter acesso ao que desejam. Aqui, as empresas não tem controle sobre como estar presentes. Para tanto, o Google delimita através do seus parâmetros,

Logo, pelas descrições vistas acima, não é incomum pensar que as estratégias de PPC (Pay per Click) sejam levadas em maior consideração. Além de possuírem um valor mais claro de investimento, eles podem gerar um retorno mais direto para os clientes. Será?

Sim e não. De fato, para campanhas de alcance mais rápido, para campanhas de Branding, promoções e diversos outros processos que pedem por mais facilidade e rapidez, as campanhas pagas podem gerar mais resultados. Contudo, ela não exclui o SEO, e vice-versa.

Ambas as estratégias trabalham com a geração de tráfego para o site. Porém, enquanto as campanhas pagam tem o seu foco em ações muito específicas, voltadas para o médio e curto prazo, o SEO possui abordagens mais abrangentes, que podem ir do curto a longo prazo.

Na verdade, seus custos, planejamento e estratégias são mais voltadas para o longo prazo. Como nosso objetivo é estar e permanecer entre os “10 mais” das pesquisas relacionadas ao seu assunto, é preciso ações que mostrem aos buscadores que o seu conteúdo é o mais valioso e relevante. Nesse aspecto, os anúncios pagos auxiliam como um complemento, porém não como base.

 

Como o SEO pode torná-lo visível? 

Basicamente, para que sua página seja visível para os buscadores, e principalmente pelo público, é preciso trazer um conteúdo de qualidade, que condiga com os interesses dos seus leitores. O SEO funciona como um meio tornar esse conteúdo competente ser encontrado com mais facilidade.

Para que seja possível, você deve levar em conta uma série de fatores, que iremos detalhar a seguir.

 

Persona 

É possível que você esteja mais habituado ao termo “público-alvo”. Neste caso, não está totalmente errado. A persona, ou Buyer Persona, é um conceito atualizado do público-alvo, em que o produtor de conteúdo, através de uma série de informações obtidas desse mesmo público, desenvolve uma personagem.

Com ela, é possível desenvolver conteúdos mais diretos, pessoais, visando uma comunicação mais precisa com o público desejado. Dessa forma, o material se torna mais relevante para quem lê, e de quebra tem mais alcance para os mecanismos de busca.

 

Palavra-chave 

Esse é um dos pilares da produção de conteúdo voltada para o SEO. Enquanto a Persona oferece um contexto e uma aplicação personalizada, a palavra-chave é o ponto ideal para que esse mesmo conteúdo chegue a quem deseja.

Essencialmente, a palavra-chave é um termo, que pode conter uma ou mais palavras, no qual o usuário utiliza para fazer suas pesquisas no Google. Elas subdividem-se nos termos:

  • Head Tail - Termos únicos, geralmente com alto índice de buscas, e competição por elas. Ex: comprar carros, frutas, casa.
  • Long Tail - São termos mais específicos, que originam-se das Head Tails. Possuem uma pesquisa menor, porém menos competição, e mais especificidade. Ex: comprar carros em São Paulo, melhores frutas para gripe, casa para alugar.

O ideal é sempre buscar por ferramentas que listem as melhores palavras-chave para o seu empreendimento, e a partir delas saber quais são as pesquisas que se relacionam-se a suas ideias, e por consequência atender ao público.

É recomendável que, para ter alcance com termos Head Tail, comece por termos Long Tail, de preferência que relacionem com sua região. Conteúdos locais são um bom meio de conseguir alcance para o conteúdo focado em SEO.

Tal como a qualidade do conteúdo, é preciso que este seja coerente a suas visões, valores e missão como negócio. Caso contrário, mesmo o usuário perceberá o seu material como algo oportunista.

 

Tipo de conteúdo 

Com as bases estabelecidas, o tipo de conteúdo terá mais do que um toque criativo. O objetivo dele será claro tanto para o gestor como para o usuário final. Se bem passada, os leitores vão seguir as indicações dadas pelo produtor. Ou ficar atento a outras oportunidades presentes no site.

Já disseram em alguns lugares: “O Conteúdo é Rei”. E não deixa de ser verdade: um conteúdo instigante, seja de informações ou de narrativas, tornam o site muito mais interessante. Veja alguns tipos de conteúdos que podem ser implementados ao seu empreendimento.

  • Dicas - Drops com informações rápidas e diretas sobre um assunto. É possível pincelar um único assunto, ou vários deles de forma sucinta.
  • Tutoriais, passo a passo, receitas... - Dependendo do segmento, é um dos conteúdos mais procurados. Mostram de maneira direta como fazer processos de todos os tipos. Aqui, detalhes e informações precisas são ouro.
  • Notícias e novidades - São conteúdos mais contidos, informando sobre as últimas novidades do seu segmento, seja de produção própria ou externa. É um bom meio de manter o site relevante e com notícias diárias.
  • Coberturas de eventos - Pode ser considerada uma variação do tipo de conteúdo acima. Por ser algo mais situacional, é possível pensar em um planejamento adequado para o período de cobertura.
  • Narrativas - Podem ser relatos de profissionais, experiências trazidas pela marca, entre outros tipos de conteúdo, mas que tenham uma estrutura narrativa coesa e coerente com os objetivos de um negócio. O conjunto de técnicas que englobam esse tipo de conteúdo é chamado de “Storytelling
  • Curiosidades - Conteúdo mais solto, com informações mais simples e despojadas sobre um assunto.

 

Responsividade do Site 

Atualmente, ter um site responsivo é um dos fatores mais importantes nos processos de SEO. Caso ainda não conheça o termo, podemos resumir a responsividade da seguinte maneira: “ter um site responsivo significa oferecer a melhor experiência para o usuário”.

Com isso em mente, o seu site deve oferecer uma estrutura de fácil navegação para o usuário, com recursos intuitivos, tempo de carregamento rápido, leitura prática… Além disso, ter um site responsivo também está relacionado a sua codificação.

Sempre que possível, verifique se não há problemas com a programação do site, e se há maneiras de otimiza-lo nesse sentido. Quanto mais rápido os robôs rastrearem o seu conteúdo, mais rápido ele será indexado, e melhor será visto pelos mecanismos de busca.

 

Imagens e recursos multimídia

O SEO não se aplica unicamente ao conteúdo escrito. Suas técnicas podem ser aplicadas em imagens, vídeos, peças publicitárias, e quaisquer outros meios de conteúdo. O importante nesses casos, mais do que a aplicação por si só, é integrar esses recursos ao mesmo contexto dos textos.

Sendo assim, pense em imagens, vídeos e outras mídias que complementam o seu material base, e tragam mais público por diversos canais. Não se esqueça de detalhes importantes como o uso de palavras-chave, URL otimizado, e principalmente, recursos que estejam de fato alinhados com a ideia.

 

Backlinks

Atualmente, este é outro dos pilares no SEO. Um backlink é, por excelência, um link gerado naturalmente, mostrando que o seu conteúdo é relevante o suficiente para ser uma referência a outros lugares. Quanto mais backlinks de qualidade, melhor é a autoridade do seu conteúdo, e por consequência do seu site.

Contudo, é importante ter cuidado em um ponto. Existem estratégias para se conseguir backlinks, porém nunca devem ser feitas de forma rasa. Em outras palavras, não utilize recursos que automatizam o ganho de backlinks, caso contrário, você será prejudicado de uma forma difícil de recuperar.

 

Estratégias de SEO básicas para gerar tráfego orgânico

Com todos os pontos apresentados acima, vamos para algumas estratégias básicas que podem ser viabilizadas através do SEO. Cabe lembrar que o tamanho do investimento é de acordo especialmente com o planejamento e o tempo de retorno pensado em cima dele. O ideal é contar com agências especializadas no assunto, para entregar o que deseja.

 

Planejamento: quais os objetivos com o conteúdo?

Estar no topo das pesquisas é o objetivo principal de qualquer campanha com SEO. Contudo, os meios para atingi-lo fazem toda diferença, e esta deve ser a base no planejamento de conteúdo.

Assim, antes de começar a pensar em pautas, pense nos tipos de ação que deseja fazer com o conteúdo. Por exemplo: ao trabalhar Branding, o conteúdo pode falar um pouco mais dos objetivos da marca, trazer relatos e avanços, mencionar seus produtos e serviços, etc.

Dentro da produção das pautas, um ponto importante vem à tona. Os chamados “Call to Actions” estão diretamente relacionados a essas intenções com as pautas. Sendo assim, é importante incluir chamadas para o que deseja no meio ou no fim do conteúdo.

 

Criação da Buyer Persona

Saber para quem está falando em cada conteúdo é outra base fundamental nas estratégias de SEO. Logo, durante o período de planejamento, e durante a execução das ações, esteja sempre atento com as respostas do público, com o tipo de interação tem com o mesmo, e como você pode adaptá-lo.

A criação de uma ou mais personas influencia no tipo de conteúdo, na linguagem, nos Call to Actions, e outros aspectos do seu material. Por isso é importante ter à mão todos esses detalhes. Com o passar do tempo, sua marca passa a desenvolver uma linguagem única.

 

Testes A/B 

Comuns em campanhas PPC, um teste A/B também pode ser pensado nas fases iniciais do planejamento de SEO. Contudo, a aplicação do mesmo é um pouco diferente das campanhas: enquanto neste são trabalhados poucos detalhes em cada tipo de campanha, nos conteúdos para gerar tráfego orgânicos cada texto testa possíveis cenários para direcionamento.

Parte da criação de uma linguagem e conteúdo próprios para a persona desejada vem de testes do tipo. Para esses objetivos, é interessante pensar em conteúdos mais compactos em tamanho e direto nas informações, para analisá-lo algum tempo depois e saber qual a melhor direção.

 

Aposte no conteúdo de Cauda Longa

Se nas campanhas pagas concorrer com palavras-chave de alta procura pode ser difícil ou mesmo caro em recursos por um lado, no tráfego orgânico não é diferente. Independente das mudanças que os algoritmos do Google promovem nas estratégias, uma das maneiras mais simples de escalonar sua presença online é investir onde não há uma competição direta.

Em um primeiro momento, palavras-chave de cauda longa podem não parecer viáveis por não ter uma busca tão elevada. Por outro lado, investir na combinação adequada para o seu público-alvo não apenas constrói a marca de forma sólida online, como elas também se relacionam com termos Head Tails.

Na prática, o seu empreendimento online ganha espaço pouco a pouco, com um conteúdo amplo e comporta uma miríade de termos. Além disso, com um conteúdo variado, é possível gerar maior engajamento e backlinks dentro desses nichos, o que aumenta a indexação de palavras-chave e autoridade como um todo.

 

Vale a pena investir em SEO?

Muito! Com um planejamento, o SEO pode representar chances de retornos viáveis para o seu negócio através de um canal direto com o público. Pense que, ao interagir diretamente com seu conteúdo, eles trazem não apenas ganhos financeiros, como possibilidades de fazer uma experiência ainda melhor.

Some isso a recursos já bem aplicados na web atualmente, como interação nas redes sociais, campanhas de PPC e estratégias mais avançadas de marketing, e a presença da sua empresa ganha uma identidade única.

Um exemplo bem conhecido é na Magazine Luíza. Além de suas campanhas de marketing tradicionais e o uso de anúncios pagos, o “Blog da Luíza” traz conteúdos relacionados a loja que, além de informar, educa o em alguns pontos para que façam as melhores escolhas nas compras. Não são materiais complexos, mas que auxiliam na manutenção do site em seu ranqueamento.

Existem outros diversos exemplos de como o SEO pode ser importante para o seu negócio. Mas para levá-lo em conta de fato, é preciso conhecer seus aspectos essenciais, como mostrados acima, e pensar de forma criativa para implementá-lo ao seu negócio. Com a Commtempla, você terá todo o auxílio necessário para fazer do seu negócio ainda mais eficiente. Venha fazer uma consultoria conosco!


AbuAmir é tecnólogo em Engenharia Mecânica, bacharel em Matemática com Especialização em Ciências Atuariais, trabalha com search desde 1999. Com mais de 400 projetos atendidos, AbuAmir lidera a área de produtos na SWTecnologia.tech