Criar uma loja online é um objetivo de muitos novos comerciantes hoje em dia. Mais do que ter um alcance virtualmente nacional, o comércio virtual pode ser uma ótima alternativa para quem está começando suas vendas, e deseja uma alternativa mais simples e direta de começar o negócio. E logo de cara, uma dúvida é frequente: por onde começar? Vale mais montar uma loja própria, ou buscar uma plataforma de e-commerce com tudo pronto para usar?

Tal como investir em marketing, ou mesmo técnicas de vendas de uma forma geral, as escolhas parecem difíceis a princípio, especialmente quando não há um conhecimento prévio sobre o assunto. Por isso, antes de fazer a escolha de acordo com o que pode investir, vamos estabelecer algumas bases fundamentais para o seu investimento.

Leia também: Riscos para se evitar ao vender em e-commerce 

 

Qual é o sua experiência em e-commerce, ou comércio em geral?

Esse ponto é muito importante. Para quem nunca ouviu sobre E-commerce, a impressão inicial é que montar uma loja virtual é mais simples do que um comércio físico. Em parte sim: as plataformas atuais oferecem recursos que permitem um novo comerciante dar o pontapé inicial a seu empreendimento.

Contudo, não é incomum que esses mesmos profissionais, por não saberem quais são os passos de fato, criem lojas e processos inadequados. O que, por consequência, criam uma imagem negativa para o próprio negócio.

Caso já tenha um e-commerce, ou pensa em abrir um, é importante evitar os seguintes empecilhos.

 

Estude o seu segmento, e qual é o alcance virtual dele

Assim como nas lojas físicas, saber como opera o seu segmento online é fundamental para garantir o sucesso da loja virtual. A vantagem aqui é que fica fácil encontrar tais informações através de pesquisas de mercado e do público-alvo com algumas ferramentas.

Para que seu e-commerce seja realmente viável, é importante saber o quanto ele poderia gerar de lucro com as vendas online. Se por um lado há benefícios quanto ao não precisar de um ponto comercial, estoque e uma logística complexa de armazenamento, por outro é preciso entregar ainda mais segurança em pagamentos, atentar-se com frete e o sistema de entrega, e se público desejado o conhece bem.

Cada detalhe importa na elaboração de um e-commerce, e levar todos esses detalhes em conta vai lhe poupar tempo e investimentos.

 

Conheça o básico de Marketing Digital 

Um E-commerce até consegue ter uma base mínima de vendas sem marketing digital, mas é um fato: sem uma estratégia bem delimitada de Marketing Digital, seja ele qual for, o alcance da sua loja virtual será muito pequeno. E se você não é visto, se o seu público não o conhece, o negócio não vai para frente.

Entender os princípios básicos de SEO, de propagandas pagas, interação e divulgação pelas redes sociais, entre outras iniciativas para estar presente online, faz com que sua loja alcance melhor o público, seja mais visto pelas pesquisas, e levar a vendas.

Uma vez que sua loja online tenha uma identidade visual, line up de produtos bem estabelecida, e outros detalhes estruturais bem desenvolvidos, separe parte dos seus investimentos em uma campanha de marketing. A Commtempla oferece uma consultoria completa para suas campanhas de marketing digital, para qualquer tipo de e-commerce.

 

Conheça as plataformas de e-commerce 

Por fim, chegamos ao ponto que todos os fatores levantados anteriormente faz diferença. Caso ainda não tenha a experiência necessária para montar uma loja própria, com os recursos próprios, vale a pena conhecer e fazer pequenos testes com as plataformas de E-commerce já presentes no mercado.

A variedade existente hoje atende as demandas de todos os perfis de comerciantes virtuais. Vale a pena estudar cada uma e comparar com os padrões desejados para o seu e-commerce, para fazer a escolha mais confortável aos seus recursos.

 

Qual é a melhor plataforma de e-Commerce?

Partindo do princípio de que é importante conhecer as plataformas de E-commerce, e que a equipe do seu e-commerce ainda não dispõe de todos os recursos para montar uma loja virtual própria, vejamos alguns exemplos interessantes a suas necessidades 

Falamos sobre algumas delas referentes aos cuidados com SEO, mas vale a pena conhecer a fundo em todos os sentidos, para saber como investir.

 

Shopify

Para quem busca plataformas de rápido entendimento, e fácil implementação, o Shopify é uma boa alternativa. É uma das indicações para quem ainda não tem um servidor dedicado, e quer aprender os processos para lançar uma loja virtual. Seus serviços funcionam basicamente através de assinaturas, com valores que podem ser acessíveis para quem já dispõe de um capital inicial estabelecido.

 

Vantagens

  • Fácil entendimento e criação da loja
  • Permite integrar a redes sociais para campanhas de marketing mais localizadas
  • Cria páginas responsivas, aumentando o tráfego orgânico e garantindo mais vendas.

 

Desvantagens

  • Pagamento dos planos unicamente em dólares
  • Não pode integrar a um servidor pessoal, dificultando a administração em caso de quedas e espaço para expansões
  • Não possui opções de loja com várias línguas, para casos de serviços internacionais.

 

Magento 

É uma das plataformas de E-commerce mais utilizadas, e por um motivo simples: embora conte com opções pagas, a plataforma é feita em código aberto, o que permite personalizações, como veremos mais adiante. Também é uma das plataformas mais baratos, tanto em seus planos de assinatura, como integração a outros serviços de forma gratuita.

 

Vantagens

  • Preços muito acessíveis nos planos de assinatura;
  • Possível integrar a servidores próprios, além de extensões variadas e gratuitas;
  • Com código aberto, pode ser ainda mais personalizado e corrigido por profissionais.

 

Desvantagens 

  • Exige um conhecimento avançado de programação, o que torna pouco atrativo a iniciantes;
  • Caso utilize muitos recursos, exige maiores implementações de estrutura (servidores, velocidade de banda larga, entre outros).

 

Wix Commerce 

De volta a quem deseja investir em um site E-commerce com poucos recursos, o Wix Commerce é outra grande alternativa. Conhecida por facilitar a criação de sites, blogs e portfólios, agora a plataforma também conta com recursos para criação de lojas virtuais, incluindo sistemas de checkout próprios, além de pagamento via paypal. Para quem busca uma experiência simplificada, é uma boa escolha, e com custos bem acessíveis.

 

Vantagens

  • Fácil criação e implementação da loja
  • Recursos próprios de pagamentos, sem comissão, incluindo transações internacionais via Paypal.
  • Pode incluir Cupons de Desconto, o que permite outras formas de promoções.

 

Desvantagens

  • Recursos avançados são limitados, mesmo com o pagamento de mensalidades;
  • O suporte é abaixo da média em comparação a outras plataformas de E-commerce;
  • As ferramentas para SEO são muito limitadas, principalmente para URL e Meta descrições.

 

Loja Integrada

Para quem possui um pouco mais de dinamismo com lojas virtuais, e tem um conhecimento mais avançado de algumas ferramentas de monitoramento, a Loja Integrada é uma excelente escolha. E isto porque, de todas as plataformas, é a única que oferece recursos gratuitos para montar a sua loja virtual. Existem planos pagos, mas você pode adquiri-los de acordo com o crescimento do seu e-commerce.

 

Vantagens

  • Pode criar a loja gratuitamente, com planos e outros recursos após 5 mil visitas diárias.
  • Facilidade para criar segmentações e seções para seus produtos.
  • Diversas opções de checkouts e pagamentos.

 

Desvantagens

  • Personalização não é intuitiva;
  • Não é permitido fazer os serviços de assinatura;
  • Suporte abaixo da média dos demais serviços.

 

OpenCart

Para quem não é fã de Magento, e prefere uma alternativa para montar uma loja virtual por conta própria, uma boa alternativa é o Opencart. Também é uma opção de código aberto, o que permite a personalização que deseja. Contudo, sua base de programação é a PHP, o que pede por mais especialidade de um profissional do ramo, além de um trabalho extra para a implementação em SEO.

 

Vantagens

  • Código aberto, facilitando uma personalização da loja, seus recursos e ideias, de maneira independente.
  • Possui variedade de sistemas de pagamento, tornando o procedimento de criação versátil.
  • Facilidade para realizar backups e incorporar servidores.

 

Desvantagens

  • Extensões demoram de aparecer para usuários mais regulares.
  • Não possui suporte em PT-BR

 

Woo Commerce

Caso ainda não tenha uma loja virtual, mas já possui alguma base instalada no Wordpress, o Woo Commerce pode ser uma alternativa econômica e prática para você. Como parte do mesmo grupo, é possível utilizar os recursos da plataforma para o segmento de E-commerce, inclusive mantendo o mesmo domínio. É uma opção interessante para expandir o que já funcionando bem online.

 

Vantagens

  • Se já possui Wordpress, pode funcionar como um Plug-in para expandir a plataforma, e vice-versa.
  • Também é código aberto, permitindo uma personalização única.
  • Tudo pode ser feito gratuitamente, incluindo outros plug-ins e extensões.

 

Desvantagens

  • Pouco intuitivo em comparação às outras plataformas de E-commerce.
  • Sem familiaridade com o Wordpress, seus recursos são mais difíceis de serem usados.
  • Para quem ainda não quer investir em blogs e sites junto a loja, os recursos se tornam muito limitados.

 

Drupal

Por fim, outra alternativa de código aberto, que compete com plataformas como o Woo Commerce, é a Drupal. Os módulos são de fácil instalação e personalização, adicionando mais uma alternativa a quem busca construir uma loja por conta própria. É uma das plataformas que também possui uma grande participação da comunidade em torno do sistema, o que ajuda a encontrar problemas e solucioná-los com mais facilidade.

 

Vantagens

  • Tem integração com a maior parte das ferramentas nacionais e internacionais.
  • Seus temas são responsivos, portanto mais fáceis de serem implementados para aparelhos mobile.

 

Desvantagens

  • Suporte da própria criadora é mais limitado em comparação a outros CMS.
  • Exige um nível técnico avançado para conseguir usar as ferramentas a fundo. Por isso, é mais indicado para quem tem experiência com programação.

 

Criando uma loja virtual própria

Com alguns exemplos mostrados acima, é possível usar tanto uma plataforma de E-commerce com todos os recursos, como também criar sua própria loja virtual através dos CMS de código aberto.

Saber a diferença entre os tipos de plataforma mencionados acima, e outros, é bem importante não apenas pelos valores investidos na construção do site, como a maneira que vai utilizá-lo posteriormente. Pense nos aspectos mencionados no início do artigo, para ter tudo em ordem.

Vejamos alguns dos pontos essenciais para montar uma loja virtual por conta própria. Sempre conte com uma equipe de programadores e profissionais capacitados para trabalhar com todos os processos da empresa.

 

1 - Escolha o CMS

Embora possa haver investimentos para criar sua própria plataforma para gestão de conteúdo e loja, o ideal é que busque os modelos já existentes, que lhe permitem personalizar da maneira que deseja, incluindo melhorar o que já existe na plataforma. Hoje, é possível criar um site E-commerce do zero através dos seguintes CMS, já apresentados acima.

  • Drupal
  • Woo Commerce
  • Magento
  • OpenCart

Cada um apresenta níveis de dificuldade e recursos próprios, facilitando a escolha de acordo com o segmento atingido.

 

2 - Legalize a loja

Isso serve para qualquer tipo de processo que envolva e-commerce. Enquanto a loja virtual é preparada, busque toda a legislação relacionada ao comércio virtual. Uma vez que toda a documentação, como os processos de homologação, podem levar um tempo considerável.

Para tanto, tenha os seguintes documentos:

  • Endereço físico da empresa;
  • Razão social;
  • CNPJ;
  • Telefone;
  • E-mails de formulário

E certifique-se que os detalhes da Razão Social e do CNPJ relacionam-se com todos os produtos comercializados. Por vezes, nem sempre a sua pessoa jurídica atende a todos os produtos, o que pede por atualizações e adequações.

 

3 - Organize a logística dos produtos

Cada gestor de loja virtual sabe o tamanho do seu acervo, e como organizá-lo de acordo. Caso não, vale a pena pensar em como irá organizar todos os produtos, tanto para manter a qualidade dos mesmos, como agilizar os processos de frete, ou mesmo disponibilidade do produto.

Alguns e-Commerces tem o estoque na própria residência do gestor, enquanto outros contam com Centros de Distribuição, ou uma pequena loja física, o mais importante é que os profissionais levem a organização como ponto fundamental na construção da loja virtual, para que haja um controle claro no fluxo de vendas.

 

4 - Teste todos os recursos

Tão importante quanto a implementação, é averiguar a veracidade dela. Antes de lançar o site E-commerce, certifique-se de que todos os recursos estão funcionando corretamente, se há bugs que vão interferir na experiência do usuário, se há algum detalhe que ficou de fora do workflow, e que deve ser trabalhado.

Se possível, tenha beta testers que possam oferecer feedbacks periódicos durante o processo de construção do site E-commerce, para que mantenha-se no prazo, além de descobrir problemas antes mesmo que eles se manifestem.

 

Vale pensar nos Marketplaces?

Uma outra alternativa para quem pensa em montar um E-commerce é fazer uso das plataformas que já existem no mercado de maneira completa, bastando fazer o cadastro e adequações a legalidade. Os marketplaces se tornaram uma forma de facilitar o E-commerce para novos profissionais, seguindo as normas dessas plataformas.

Hoje, as plataformas de marketplaces mais conhecidas são:

  • B2W (Americanas, Submarino)
  • Amazon
  • Mercado Livre
  • Netshoes
  • Magazine Luíza

De forma geral, todas possuem a mesma estrutura: você se cadastra, e uma vez aprovado, é possível incluir os próprios produtos, utilizando a garantia e a imagem da plataforma para tal. Contudo, não é possível personalizar nada dentro do Marketplace. Além disso, a própria identidade da loja virtual acaba ofuscada pelo próprio Marketplace, o que ajuda a pensar se vale o investimento ou não.

Independente da escolha do site de e-commerce, o mais importante é avaliar como deseja investir nesse projeto. Pense que a criação de uma loja virtual não é diferente de uma loja física quando se trata de custos e recursos. Por isso, avalie sempre de acordo com sua realidade.


AbuAmir é tecnólogo em Engenharia Mecânica, bacharel em Matemática com Especialização em Ciências Atuariais, trabalha com search desde 1999. Com mais de 400 projetos atendidos, AbuAmir lidera a área de produtos na SWTecnologia.tech