Acessibilidade:
Login

  • SinalizeWeb14 anos
  • DivisãoCommtempla
  • EmpresaSW tecnologia.tech
  • Código deConduta
  • Entre emContato

Consultoria SEO

Consultoria SEO, documento de laudo técnico para implementalçai de correções e melhorias

Implementação SEO

Implementação SEO, um time de analistas e desenvolvedores, com foco em performance orgânica e Usabilidade

Análise de Impacto para Migração de Plataformas

Migração Assistida de Plataforma, sem perda de Tráfego Orgânico. Muito além de Redirect 301

Desenvolvimento web pautado em SEO

Desenvolvimento de sites e lojas e-commerce com premissas SEO OnPage

Está imagem representa o tema abordado pela publicação do blog da Sinalizeweb | Crise é oportunidade: agarre com as duas mãos

Crise é oportunidade: agarre com as duas mãos

25 de Agosto de 2015
Por SinalizeWeb

Crise é oportunidade: agarre com as duas mãos

Sim, a crise está às portas. E este é o momento de trabalhar em dobro para sair desse período melhor do que entramos. Mesmo com a crise econômica no país, a previsão de crescimento para o comércio eletrônico é de 20%. Esta é a média, o que significa que alguns crescerão mais de 60% e outros que crescerão menos de 2%. Em qual grupo você quer estar?

Na década de ouro, entre 2004 e 2013, a participação do varejo no PIB brasileiro cresceu de 18% para 25,8%. Por setores: franquias, 1,6% para 2,4%; vendas diretas de 0,5% para 0,6%; shoppings de 2,1% para 2,7% e o e-commerce de 0,1 pra 0,6%.

Nestes dez anos, portanto, a participação do e-commerce no PIB cresceu 600%. E dá para crescer muito mais. Afinal, a previsão é que continuem a chegar mais consumidores – são cerca de 10 milhões de novos clientes todos os anos.

A oportunidade para o varejo de explorar o e-commerce é óbvia – e só tem como obstáculo a onda de pessimismo que vem a reboque dos tempos difíceis. A primeira evidência de que algo diferente está acontecendo veio de alguns clientes, que afirmaram: “descobri que estava inflado quando cortei custos e o desempenho se manteve”. A primeira lição é esta: sim, é possível cortar seus custos e manter a qualidade no atendimento aos seus clientes.

Outro “ponto cego” recorrente no mercado brasileiro do comércio eletrônico é a análise e gestão separada que os varejistas fazem entre a operação física e a online. Não basta olhar qual a unidade está vendendo mais, todas elas são oportunidade para criar bases de dados e aprimorar o conhecimento que você tem do seu cliente, uma complementa a outra. O importante para o varejista é estar presente em qualquer canal onde o seu cliente queira interagir e comprar.

Quando o varejista opera o seu negócio em conjunto – e coloca em prática a palavra da moda, o omnichannel – ele ganha em todas as frentes. O e-commerce pode funcionar como ferramenta de comunicação e branding, melhorar as vendas das suas lojas, coletar e usar as informações dos carrinhos abandonados e seu banco de dados passa a ser uma fonte de informação valiosa, até por exemplo, para escolher onde é mais interessante abrir uma loja física.

Para completar, com os bancos de dados de clientes unificados, o varejista pode segmentar melhor os perfis, criar comunicação e campanhas verdadeiramente personalizadas e conquistar a tão sonhada recompra – e, porque não?, fidelidade.

Em tempos de crise e de enxugamento de custos, estes investimentos na unificação fazem todo sentido – e podem produzir, quando feitos com cuidado, bons resultados para a lucratividade da sua operação.

É importante, neste processo de consolidação dos lucros, não deixar de planejar, executar e monitorar cada ação de marketing. Tudo isso porque numa operação de varejo – principalmente no comércio eletrônico – há que se considerar a complexidade inerente.

Além do marketing, existem os custos de plataforma, ERP, gateway de pagamentos, adquirente, análise de risco, logística e frete. Mesmo isolando a complexidade tributária, típica do Brasil, um olho tem que estar na criação e outro na avaliação de cada investimento.

Qualquer ROI menor que cinco (para cada real investido você ganha cinco reais) será indicador de uma ação que precisa urgentemente ser revista ou descontinuada. Apesar dos números serem claros, muitos comerciantes esquecem disso – e podem inviabilizar seus negócios a curto ou médio prazo, principalmente num ambiente hostil.

Ao enxergar seus canais como um único negócio, o comércio eletrônico pode entregar inteligência para toda a operação – e aí sim fazer marketing e remarketing, sempre acompanhados de testes A/B, relatórios de ROI e evolução constante. Poucos varejistas fazem isso com seriedade.
Fonte: EcommerceBrasil

Conheça melhor o cenário de tráfego do seu site

Receba a Opinião de um de Nossos Especialistas

Só mais algumas informações

Calculadora de

E-commerce

Defina sua meta de faturamento e com base num ROI estimado, saiba qual é o investimento ideal em marketing de performance para a sua estratégia de negócio online.

Assine agora nossa newsletter

Este site usa cookies apra garantir que você obtenha a malhor experiência em nosso site. Leia a Política de Privacidade