SinalizeWeb

Tudo que você precisa saber sobre o Marketing de Performance

on Sexta, 17 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

O Marketing Digital é a grande aposta que qualquer empresa que queira crescer e ter reconhecimento precisa investir. Dentro do Marketing Digital existem diversas vertentes, entre elas, o Marketing de Performance.

O Marketing de Performance é focado 100% em resultados e costuma ser uma forma de mídia paga. Quando aliado a outras estratégias como o Tráfego Orgânico, os resultados são sempre positivos.

O Marketing de Performance precisa ser entendido como uma estratégia a qual antes de ser lançada deve estar totalmente direcionado ao seu público-alvo, afinal, o investimento nele é feito da seguinte forma: o custo não é fixo, pode ser variável de acordo com o número de vezes de visualização do seu anúncio, número de cliques ou leads gerados. Tudo depende dos meios que você vai escolher.

O método de custo por visualização ou impressão é chamado de CPM (custo por mil), mas você pode escolher pela quantidade de cliques que ele recebeu, o CPC (custo por clique).

A partir desse conceito é possível entender tudo que está ligado ao Marketing de Performance.

O Marketing traz altíssimas possibilidades de mensuração, um detalhe imprescindível principalmente para os e-commerces. Com o Marketing de Performance medir o alcance, a conversão, a desistência e muito mais ficou mais fácil. Com ele, você consegue saber qual campanha gerou mais resultados, em qual ponto da campanha o consumidor desistiu ou qual campanha não está dando resultados.

Com essas facilidades, o profissional que gerencia o Marketing de qualquer empresa consegue ser mais certeiro nas ações a serem feitas e nas quais ele precisa mudar a tática. Alguns exemplos de cenários são facilmente descobertos com isso, como por exemplo:

- O cliente vê o anúncio, mas raramente clica: Melhorar o texto, a imagem, deixar algo mais chamativo para aquele cliente, despertar a curiosidade pode trazer melhores resultados.

- Alta taxa de rejeição de um determinado anúncio: Nesse caso o direcionamento do anúncio pode não estar especificado para o target, ou pode estar com problemas de navegabilidade, melhorar o UX (experiência do usuário) pode melhorar esses índices.

- Vê o anúncio, clica no anúncio, põe o produto no carrinho, mas desiste da compra: Esse cenário pode acontecer por diversos motivos, entre eles, as formas de pagamentos oferecidas, a confiabilidade que em certo momento deixou a desejar, ou algum erro do próprio site na hora de finalizar a compra. A recuperação de carrinhos também auxilia e muito nesses casos.

Esses cenários são apenas alguns poucos exemplos que o Marketing de Performance traz com a analise de resultados, e essa é a principal diferença dele, pois, com altos números de analises confiáveis, ele é o único que proporciona você descobrir se a mídia escolhida é eficiente, ou se o canal escolhido é o melhor a ser investido e ainda se o site oferece os requisitos básicos de navegação.

Com isso, o gestor consegue ter números reais de acordo com o seu nicho e não se baseia apenas em número nacionais para investir no Marketing.

As Mídias de Performance mais famosas e que auxiliam no Marketing de Performance são muito conhecidas e provavelmente você as usa no dia a dia sem ter ideia do poder de alcance e resultados que essas mídias podem trazer.

Google Adwords: De certo o Adwords é a ferramenta de campanha mais utilizada. Com ele você veicula anúncios criados na rede de display – responsável por cerca de 90% do alcance de toda a internet – Permitindo assim, que o gestor escolha o tipo de lance a ser utilizado. Além disso, o Google Adwords também disponibiliza métricas que permitem a escolha do tipo de público que verá os anúncios.

Facebook Ads: O Facebook também disponibiliza uma ferramenta de anúncios, a qual também possui métricas e métodos para segmentar as campanhas criadas. Sua forma de cobrança é semelhante à do Google Adwords e dentro do conceito de Mídia de Performance, ou seja, o usuário paga de acordo com os resultados obtidos.

Instagram for Business: Existem empresas que são a cara do Instagram, como de viagens, restaurantes, entre outras. Com ele também é possível utilizar ferramentas voltadas a anúncios e campanhas na rede social. O Instagram for Business proporciona a criação de anúncios e recebe os pagamentos de acordo com o tempo que esses anúncios ficarem no ar e pelas conversões realizadas. Assim como as ferramentas citadas anteriormente, ele também fornece importantes métricas do perfil da sua empresa, para assim, você acertar cada vez mais em suas campanhas.

Com todos esses conceitos, agora é preciso pautar o seu plano de ação, planejar todas as estratégias a serem colocadas dentro das campanhas.

Primeiro, antes de investir no Marketing de Performance, é essencial que o seu plano estratégico esteja bem definido, para assim, os resultados positivos serem alcançados com mais facilidades e menos erros.

Para isso, verifique se sua persona está atualizada, se os objetivos a serem alcançados são reais, de modo que não sejam pautados em algo irreal de início e se estão bem definidos, além disso, estude bem o que está sendo colocado em prática para atingir esses objetivos.

Ajuste o necessário e parta para o próximo passo, que é entender o seu próprio foco.

O Marketing Digital como um todo proporciona que você escolha qual o tipo de resultado você quer atingir. Exemplo, se sua empresa é nova no nicho, o primeiro objetivo que você deve alcançar é a visibilidade online. Agora, se você está no mercado já tem um tempo, estude como anda a sua autoridade no assunto que você trabalha.

Se você já tem uma estratégia de Marketing em prática e já tem um bom tempo, está na hora de converter leads, caso ainda não tenha iniciado esse trabalho.

Com os objetivos bem definidos, você está pronto para direcionar a sua campanha de performance da melhor forma possível, com foco, para assim, não ter desvios no meio do caminho. É importante escolher os lances pensando em qual resultado você pretende atingir, com isso, você define bem o objetivo e consegue segui-lo de acordo com métricas e projeções, assim, é possível fazer manutenção das campanhas com maior confiabilidade.

Por fim, após planejar todos os pilares da sua campanha, está na hora de direcionar quem essa campanha deve atingir.

Analise bem o público que deve ser alcançado e aproveite da melhor forma as ferramentas que o Marketing de Performance traz na segmentação do público.

Com isso, pesquise, analise a estratégia dos concorrentes e sempre mantenha-se informado sobre a área que pode ser alcançada o quanto antes de definir quem sua campanha vai atingir.

Quanto melhor esses pontos estiverem definidos, mais chances do sucesso ser alcançado.

Ter um auxílio de quem entende do assunto pode ser um diferencial, por isso, a SinalizeWeb Agência de Marketing Digital está com você para o que for preciso. Se ainda tiver dúvidas de como o Marketing de performance pode ajudar o seu negócio, basta contata-nos para resolvermos da melhor forma todas as dúvidas existentes!

Como obter sucesso com Marketing de 360 graus

on Segunda, 13 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Ao navegar no Facebook você se depara com um anúncio de um tênis super charmoso, clicou no anúncio mas por um motivo X, você não realizou a compra. A partir disso, esse tênis passou a aparecer com ainda mais frequência no seu feed do Facebook, no YouTube, Instagram entre outros. Quem nunca se deparou com esse cenário? Isso faz parte do Marketing 360!

A ação de enviar mensagens, promoções, anúncios de modo consistente em todos os pontos possíveis de comunicação, é conhecido como Marketing 360°. Essa estratégia pode ser utilizada nos mais diversificados meios como televisão, impressos, pontos de venda, mídias digitais e campanhas sociais.

Uma boa estratégia de Marketing 360° começa muito antes da venda ser efetuada e continua após a conversão. É necessário que sua loja acompanhe todo o período de compra do cliente. Busque entender o que seu público-alvo quer, quais suas dúvidas e os meios de comunicação que ele está. Com essas informações é possível pautar uma boa campanha de Marketing 360°.

O Branding, que pode ser entendido como a percepção da sua marca perante o consumidor, precisa ser trabalhado constantemente. Faça seu público-alvo entender que o serviço ou produto que ele procura a sua marca oferece e é a melhor. Para isso, você pode usar do Marketing de Conteúdo para atrair esses consumidores, com assuntos interessantes e pertinentes ao seu nicho. Com isso, você tem uma ótima base para nutrir seu público-alvo em todas as redes que ele se encontra.

Antes de tudo, vamos ajudar você a entender conceitos que englobam essa estratégia explicando os principais pilares do Marketing 360°:

SEO: Começando com o SEO, você consegue ranquear todo o seu conteúdo para as primeiras páginas do Google. É importante entender que nada adianta ter ótimos conteúdos, produtos e serviços se você não é “encontrável” nos mecanismos de buscas, meio responsável por 93% de todos os acessos na internet. Se tiver um blog, use todos os métodos para esse estar ranqueado e sempre compartilhe os conteúdos dispostos nele.

PPC ou CPC (custo por clique): Aqui é possível atrair visitantes. Facebook e Google são boas plataformas para investir nesse método que consiste basicamente em ter um custo cobrado a cada clique de determinada campanha. Lembre-se sempre de usar palavras-chave de acordo com o seu negócio e monitorar constantemente suas campanhas.

Relacionamento: Após atrair esse target, é importante manter um bom relacionamento para encantar esse consumidor de modo que ele venha a ser um cliente fiel no futuro. Lembre-se que como já citado, essa comunicação deve ir além da finalização da compra. O ótimo atendimento irá tornar um potencial consumidor em um consumidor recorrente, um ponto que traz diferencial para o nome da sua marca e lucros comprovados. Utilize ferramentas de CRM e lembre-se sempre de oferecer um atendimento personalizado.

E-mail Marketing: Um ótimo modo de gerir o relacionamento exclusivo é através do E-mail Marketing. Um método que ainda traz benefícios quando usado com conteúdos específicos e de qualidade para o consumidor do seu nicho de mercado.

Inbound Marketing: Através do Inbound Marketing é possível captar Leads voluntariamente. Esses leads são consumidores que de certa forma demonstraram interesse na sua marca. Nutrir os leads através do Inbound Marketing ajuda esses consumidores em potencial a passar por todos os estágios do funil de vendas chegando ao objetivo final: a conversão.

Social Media: A Social Media ou Mídias Sociais também são ótimas formas de engajar o público-alvo. Esteja presente nas redes sociais, Facebook, Linkedin, Twitter. Mantenha um relacionamento mais aberto e presente com o consumidor. Além disso, as Mídias Sociais podem aumentar mais ainda o alcance da sua marca. Esteja onde seu público-alvo está.

Conteúdo: Mais uma vez, a produção de conteúdo como um todo se faz presente. Investir nesse método é o que pode garantir mais resultados positivos para seus objetivos. Tudo que seu negócio produzir com respeito a conteúdo como imagens, infográficos, textos, vídeos, e-books, etc, pode e deve ser utilizado como uma ferramenta de marketing. Utilize-o como meio de posicionar-se como referência no seu nicho de mercado, aumentar a imagem da sua marca diante dos clientes recorrentes, consumidores em geral e leads, além de ser também um ótimo meio de aumentar o tráfego orgânico do seu site e por fim, converter vendas. Ufa! O conteúdo na maioria das vezes garante um ROI positivo.

Web Site: Por fim, mas não menos importante, fechando esse ciclo, temos o Web Site. É nele que todas essas ações vão terminar. Não adianta ter toda essa estrutura muito bem pautada se o seu web site não convence o usuário na primeira impressão. Todo web site precisa passar confiança, ter informações claras e objetivas, ter boa navegação tanto em desktop quanto em smartphones – E é nesse ponto que muitas empresas pecam – Hoje o mobile é responsável por grande parte da navegação na internet, então, ter um site responsivo é o mínimo que você deve oferecer. Conheça e invista em UX, uma nova onda em crescimento que atrai resultados positivos.

Trate sempre seu usuário como exclusivo, com personalização. Assim, a tendência é que ele sinta-se parte de uma comunidade exclusiva. Estude bem cada tópico citado e paute da melhor forma suas estratégias. Se você precisar de um auxilio ou consultoria, a SinalizeWeb Agência de Marketing Digital esta à disposição para tirar qualquer dúvida!

Internet das Coisas – O que é e como pode ser usada

on Sexta, 10 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

A revolução tecnológica está cada dia mais presente no cotidiano com inovações que visam facilitar as tarefas do dia a dia. Com isso, vem fortalecendo cada vez mais o conceito que traduzido do inglês: Internet of ThingsIoT – pode ser entendido como a Internet de Todas as coisas, ou apenas “Internet das Coisas”, o termo mais usado na definição do conceito.

O que é a Internet das Coisas?

A Internet das Coisas pode ser entendida como a conexão via internet de tudo que possa de alguma forma facilitar a nossa vida. Atualmente existem exemplos que provavelmente você convive no dia a dia, mas que não fazia, até então, ideia que pertencia ao conceito de Internet das Coisas, fazendo parte de uma grande revolução.

Essa revolução se diz respeito ao modo que hoje e futuramente iremos nos relacionar com as coisas e, até mesmo, elas conosco. As possibilidades da evolução da tecnologia são inúmeras, e é por isso que esse conceito vem se fortalecendo tanto.

Em um resumo simples e fácil de ser entendida, a internet das coisas é o modo como as coisas conectam-se e comunicam-se com o usuário e entre si, por meio de softwares e sensores extremamente inteligentes que transmitem os dados para uma determinada rede.

O resultado da IoT é um planeta mais inteligente e responsivo por meio de um grande sistema que possibilita a troca de informações entre dois ou mais pontos.

A Internet das Coisas Utilizada no Dia a Dia.

Essa tecnologia pode ser aplicada em tudo – literalmente tudo – qualquer “coisa” pode ser capaz de ter um sistema responsivo e inteligente. Exemplos comuns no mundo atual são os óculos de realidade virtual que proporcionam ao usuário uma experiência de imersão em um “mundo paralelo” criado de maneira a simular gestos, pessoas e muito mais.

Outro exemplo de como essa conexão pode ser usada, é por meio da Smart TV, onde você consegue assistir filmes online por meio da Netflix, usar Spotify e qualquer outro aplicativo que permita o acesso via internet.

Os atuais videogames em sua maioria exigem conexão com a internet para ainda mais interação entre usuários – esse cenário não era imaginado nem mesmo com o não tão antigo, Play Station 1 e muito menos com o Atari, por exemplo – Mas, além disso, existem outros objetos grandes ou pequenos que também podem ou poderão beneficiar-se da IoT, entre esses objetos estão coisas simples como relógios, lâmpadas e coisas mais complexas como geladeiras e carros.

Em geladeiras essa tecnologia pode ser usada de modo que a mesma identifique quando algo está para vencer e realize uma pesquisa nos mercados próximos para encontrar o menor preço. Assim, além de evitar o desperdício, também é possível economizar dinheiro e tempo.

Em carros, já está em processo um meio para que o motorista seja identificado e a partir disso, são passadas informações de trânsito, temperatura, preferência musical e muito mais.

A IoT veio não para que você tenha mais um meio para se conectar a internet, mas sim para que facilite a nossa vida com objetos mais eficientes, inteligentes e responsivos, como uma extensão da nossa consciência. Com o IoT os dados passam a ser utilizados para mais informação e conhecimento, dando um sentido diferente para os números ou as lógicas.

As áreas que a IoT atua vão além de tudo que se possa imaginar, desde agropecuária até a área hospitalar, passando também pelo marketing.

Todo esse conceito vem sendo discutido há muito mais tempo do que se imagina. Em 1991 a interação com os objetos já era discutido, porém, apenas em 1999 o termo foi criado por Kevin Ashton e desde então o termo e suas variantes vem sendo trabalhados para que futuramente, essa interação seja algo não apenas imaginável, mas sim real em todos os campos que haja a possibilidade da interação das coisas.

A Internet das Coisas possui um grande potencial na movimentação da economia. O Brasil é o país onde esse conceito é mais aceito, segundo a pesquisa da Worldplay. Segundo o estudo, o Brasil é o país que mais acredita na interatividade dos dispositivos, como parte da evolução entre a relação do público e empresas.

Gostou desse artigo? A SinalizeWeb sempre está de olho no que acontece no Brasil e no mundo. Acesse nosso blog e fique por dentro e informado da evolução da tecnologia como um todo!

Descubra como SEO pode impactar o seu negócio

on Quarta, 08 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Estar ausente na Internet por vezes pode significar perda de mercado para a concorrência e perda de vendas com conquista de novos públicos. Hoje o mundo está amplamente conectado, e não se pode mais pensar em Marketing sem ter o Digital como princípio básico e presença nas estratégias pautadas.

Pode-se dizer que a internet possui espaço para tudo e todos. Porém, esse mesmo conceito pode dificultar que a sua empresa seja encontrada pelo público-alvo. E é nesse contexto que o SEO entra.

O Search Engine Optimization nada mais é que um conjunto de estratégias voltadas à Otimização de para Sites de Buscas. O SEO tem como objetivo melhorar o ranqueamento nas páginas dos buscadores como o Google. Uma vez bem posicionado, seu negócio colherá ótimos resultados.

Mas antes, é preciso entender que diferente dos Anúncios Pagos, o SEO é um trabalho a ser feito a longo prazo. Os resultados não são vistos em questão de horas, mas sim, meses de trabalho por questões dos mecanismos usados pelos sites de buscas mudarem com certa frequência.

Antes de tomar uma decisão de compra, é comum que as pessoas pesquisem em sites de buscas, destas, 90% recorrem ao Google. Ao pesquisar sobre um determinado tema ou produto, nota-se que essa pessoa possui um problema que precisa ser selecionado. Se a sua empresa trata do assunto ou possui exatamente o produto que ela procura, mas não está bem posicionada no Google, significa que você perdeu uma venda.

O SEO é capaz de gerar tráfego qualificado para o seu site, uma vez que por meio de buscas orgânicas, a pessoa que está disposta a conhecer o negócio ou produto oferecido pela sua empresa, chegou até você por conta própria sem outros fatores influenciando a escolha. Uma vez que existe esse interesse, as chances de conversão com o SEO são cada vez mais altas. Além disso, com o SEO você não paga por cliques e o seu site não aparece como anúncio, isso gera mais confiança para quem está buscando.

Uma vez bem posicionado no Google através do SEO, essa relevância dificilmente será perdida. Ao contrário da Mídia Paga que ao não ser mais patrocinada, o seu site pode voltar a ficar mal posicionado.

Bom, já sabemos que a receita gerada a partir do tráfego orgânico pode ser muito maior que a vinda de outros meios, além disso, sabemos que o tráfego gerado pelo mesmo possui ainda mais poder de conversão que os demais e também sabemos que o Google, mecanismo para qual as buscas são otimizadas, representa 90% de todas as pesquisas. Agora, você sabia também que, de todo o tráfego na Internet, 81% se dá a partir dos mecanismos de buscas?

Com esses dados é possível ter uma percepção do quanto você pode estar deixando de ganhar por não investir em SEO. As ações e estratégias realizadas para que esse posicionamento seja na primeira página são pautadas em pontos como palavras-chave, hierarquia no HTML e outros pontos que a SinalizeWeb Agência de Marketing Digital é especializada em otimizar.

Não perca mais tempo e traga o seu negócio para a SinalizeWeb e veja os resultados aparecerem. Contate-nos agora mesmo e descubra os benefícios que o SEO traz para os seus negócios!

Como escolher a Agência de Marketing Digital?

on Terça, 07 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

O Marketing Digital pode ser entendido como uma extensão do Marketing Tradicional, porém, com ainda mais poder de alcance, uma vez que estar na internet pode significar rápida viralização de conteúdos, produtos ou serviços.

Dentro dessa visão, investir em Marketing Digital é imprescindível para quem deseja um dia reconhecimento. As vezes o empreendedor, por não entender como faz ou funciona, acha que o Marketing Digital pode ser “besteira” ou algo desnecessário dentro das ações de marketing.

A terceirização dessa tarefa é comum, uma vez que o time de marketing das empresas nem sempre está familiarizado com os conceitos, estratégias e operações que são realizadas dentro do Marketing Digital.

Com isso, surge a pergunta: Como escolher a melhor Agência de Marketing Digital?

A SinalizeWeb trouxe alguns pontos que são indispensáveis na analise para escolher a melhor entre tantas que existem hoje no mercado.

Antes de sair em busca de uma Agência de Marketing Digital para aumentar a performance do seu negócio, analise as necessidades do seu negócio junto com a sua equipe. Paute lacunas a serem preenchidas com o Marketing Digital e com elas trace objetivos a longo ou curto prazo. Além disso, responda você mesmo às seguintes perguntas para que os objetivos e necessidades estejam ainda mais transparecidos:

- Porque sua empresa está optando pelos serviços de uma Agência de Marketing Digital?

- Qual as suas expectativas referentes a essa empresa?

- Quais resultados almeja alcançar com esse novo investimento?

Ao ter isso em mente, você consegue analisar melhor cada agência e escolher a que mais se adapta às suas necessidades.

Vamos entender um caso prático de necessidade e objetivo. Você definiu que um determinado produto precisa de campanha no AdWords, porém, sua equipe não tem o conhecimento da ferramenta e da melhor forma de executa-la. Com esse cenário, uma Agência pode ser útil e trazer os resultados desejados.

Outro aspecto importe na melhor escolha, é conhecer o histórico da Agência de Marketing Digital. Consulte o site, leia a história dela, confira os cases. O Marketing Digital não chega a ser tão antigo e uma Agência ter 30 anos de mercado pode não dizer muita coisa, principalmente quando se diz respeito ao seu Know How com estratégias de Marketing Digital que vem mudando com o tempo.

Por outro lado, décadas de funcionamento demonstram que a Agência possui consolidação no mercado. Empresas com mais tempo de mercado possuem mais cases para analisar.

Por isso, com essa incerteza quando a questão é o histórico da empresa, também é imprescindível avaliar outros fatores como:

- Certificações e Parcerias: Pesquise se a agência tem parcerias de peso e certificações importantes como as do Google, por exemplo.

- Premiações e Eventos: Conheça os prêmios que a Agência possui, eventos participados ou organizados.

- Notícias na mídia: Nada como uma simples pesquisa para saber um pouco mais das notícias relevantes que citam a Agência analisada.

- Serviços anexados com o tempo: Descubra como foi evolução dos serviços oferecidos pela Agência contratante.

Como já citado, avaliar os casos de sucesso pode ser uma boa fonte de tomada de decisão, afinal, não tem como fechar um negócio sem saber os antecedentes trabalhos realizados. Normalmente as Agências expõem parte dos seus cases no próprio site. Caso não tenha todas as informações que você julga necessárias no site, não hesite em solicitar um conteúdo mais completo referente à como o trabalho é desenvolvido e os resultados do mesmo.

Outra forma de aprofundar-se mais no conhecimento da Agência de Marketing Digital é conversar com outros clientes atendidos. Muitas Agências mostram em seu próprio site uma cartela de clientes atendidos, assim como seus feedbacks afim de provar sua existência social.

Claro que todo esse trabalho possui um enorme valor, porém, trabalhar com base apenas no marketing que a própria Agência oferece pode ser pouco. Por isso, aproveite para entrar em contato com esses clientes, marque reuniões presenciais ou virtuais e entenda como o trabalho foi desenvolvido com determinado cliente. Tire suas dúvidas e avance mais um passo na escolha da melhor Agência.

Analisar os canais de comunicação da Agência também pode trazer respostas. Consulte redes sociais, sites, blogs e avalie se os conteúdos dessas plataformas são de qualidade. Nada melhor que escolher uma Agência de Marketing Digital avaliando o Marketing Digital que ela faz para ela própria.

Entender o sistema organizacional das Agências também pode ser um fator de relevância, então, visite a Agência de Marketing Digital, converse com os profissionais e analise a satisfação deles no local de trabalho. A felicidade dos colaboradores está diretamente ligada ao lado produtivo e motivacional. Observe o conforto oferecido, a descontração e a recepção, afinal, esses fatores fazem qualquer cliente sentir-se em casa. Em equipes compostas por muito jovens deve ser analisada a vontade de crescer, o desenvolvimento profissional e a determinação.

E por fim, pesquise os preços. Leve em consideração o quanto será o custo final do investimento em Marketing Digital. Esse é o diferencial para a escolha da melhor Agência, não pense como um gasto, mas sim como um investimento de alto retorno.

Ao escolher o melhor serviço, você poderá deparar-se com Agências recém-criadas ou autônomos que costumam cobrar um valor abaixo do praticado no mercado. A escolha por esses profissionais pode custar caro depois, visto que a capacidade de retorno de resultados pode ser prejudicada.

Valorize o custo/benefício das Agências de Marketing Digital, pois, assim não há riscos de optar por um pequeno preço e ficar na mão na espera de resultados.

Você precisará pegar toda a informação colhida nos tópicos anteriores e escolher o serviço que melhor se encaixa nas suas necessidades. Assim, nem sempre você precisará pagar por um combo de serviços, por exemplo.

Escolher a melhor Agência de Marketing Digital pode ser desafiador, mas uma vez feita a escolha certa, os resultados positivos irão se multiplicar cada vez mais!

A SinalizeWeb trabalha com excelência para que todos os serviços gerem resultados de excelência. Consulte-nos para conhecer um pouco mais dos nossos métodos de trabalho. Escolher a SinalizeWeb é não ter arrependimentos!

O que você não sabia sobre o ranqueamento orgânico no Google

on Segunda, 06 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Bom, primeiro vamos a um ponto muito importante que com certeza você já sabe mas é sempre bom lembrar: trabalhar o ranqueamento orgânico é um investimento a longo prazo.

Comumente esse trabalho de ranqueamento não é pago ao Google, mas sim, conta com o auxilio de uma Agência de Marketing Digital especializada como a SinalizeWeb, pois, estar bem posicionado depende de ações específicas e lógicas que apenas quem possui domínio consegue trabalha-las em conjunto para a obtenção do sucesso.

Muita gente não sabe, mas, ao colocar um site no ar o Google não sabe que ele existe. Em outras palavras, ele não consegue saber qual site está no ar ou não, ele indexa de acordo com a relevância. A partir disso, mesmo que a pessoa digite o nome do seu site na barra de pesquisas do Google, pode ser que ele não apareça. Isso acontece porque ele não está indexado (cadastrado) no banco de dados do Google.

Essa indexação pode acontecer automaticamente, por exemplo, quando o Google “passa” por um site onde existe um link indicado para o seu endereço. A partir disso ele vai colher informações e disponibiliza-lo quando for feita uma pesquisa.

Outro meio de ter esse cadastro, é adquirindo a fermenta Web Master Tools conhecida também como Search Console. Ao cadastrar seu site nessas ferramentas, automaticamente o Google percebe a existência e passa a colher dados e disponibiliza-los para você. Esses dados são extremamente úteis quando a questão é posicionamento orgânico, pois, eles trazem as principais palavras-chave que geram tráfego para o seu site ou uma determinada página. Com isso, fica mais fácil trabalhar essas palavras-chave para posicionamento.

Existem funcionalidades em um site que são desconhecidas para a maior parte das pessoas. As Tags são uma delas. O Title é o título do site, aquele que aparece em azul quando um site é pesquisado no Google. É de suma importância que o Title esteja bem formulado. Esse Title não pode conter informações demais, devem conter apenas os principais ou o principal termo que leva tráfego para uma determina página.

Além dos Titles também existem as Descriptions, essas são aqueles mini textos que aparecem logo abaixo do Title quando é realizada uma pesquisa no Google. A Description deve ser escrita de forma que explique para o que serve aquela página, produto ou serviço. É importante que haja um trabalho profissional na elaboração dessa descrição. Tome cuidado com o número de caracteres também nesse campo, pois, Descriptions com o tamanho fora dos padrões de exibição possuem altas chances de serem cortadas sem mostrar toda a informação que você desejava passar.

Esses passos ajudam na indexação e no posicionamento orgânico. Mas, também existem fatores que contribuem para o não posicionamento. Entre esses fatores está a linguagem que o site foi escrito. Java e Flash podem dificultar a indexação que por sua vez, penalizam o posicionamento, levando-o a nem aparecer mesmo que seja digitado o nome completo do site.

Como já citamos anteriormente, um site criado a pouco tempo pode ter dificuldades de ser encontrado, por sua vez, se você encaixa-se nessa situação, siga os passos dados acima e trabalhe Link Building para o Google ter cada vez mais conhecimento do seu domínio.

Além de problemas na indexação, pode acontecer de estar indexado, porém, com mal posicionamento. Isso acontece quando as tags, por exemplo, não estão descritas da melhor forma possível utilizando-se dos principais termos e palavras-chave.

Se você tem dúvida quando a indexação ou não do site, digite “site:www.domínio-do-seu-site.com.br” na barra de buscas. Se a resposta do Google for "Sua pesquisa - site:www.domínio-do-seu-site.com.br - não encontrou nenhum documento correspondente" significará que de fato ele não está indexado e não irá aparecer em qualquer busca que seja realizada.

Além de todo esse conteúdo de trabalho de HTML, na maioria das vezes, existe ainda outro ponto também no HTML de total importância. São as Heading Tags. Elas definem os termos de maior importância em uma página e possuem uma ordem que permitem ao Google entender do que se trata determinada página e suas variações.

O <H1> sempre deverá ser o título/termo mais importante da página. Após descobrir qual a palavra-chave que melhor se encaixa em determinada página, você deverá defini-la no seu HTML como o <H1>. Os subtítulos costumam ser o <H2> e devem ser o segundo termo que mais gera tráfego. Utiliza-se normalmente, termos semelhantes ou variações. Assim segue-se para as Heading Tags <H3> <H4> <H5> e assim por diante. Lembre-se, um site não deve ter mais que um <H1>, pois, isso pode confundir e atrapalhar os mecanismos de ranqueamento do Google.

Essas Heading Tags podem ser visualizadas a partir de plug-in no Google Chrome. Assim, você consegue saber também quais as Heading Tags que seu concorrente usa e descobrir termos ainda melhores.

O nome dado aos robôs que navegam pelos links das páginas é Googlebot. Um robô que encontra páginas e conteúdos afim de indexa-los. Mas, você pode ter páginas que não deseja ser indexadas. Essas podem ser intranet de uma empresa, Landing Pages com conteúdos similares, páginas de filtros de produtos, entre outros.

Configurar o robots.txt é um meio de evitar a indexação desse conteúdo quando o Googlebot passar pelo seu site. Essa configuração é feita por meio de um bloco de notas, a partir disso, é possível controlar qual informação de um site deve ou não ser indexada nos sites de buscas. A disposição do arquivo é bem simples, deve-se ser colocada pelo webmaster responsável pelo site na raiz da hospedagem. O Google usa um arquivo em http://www.google.com/robots.txt clique e confira!

O sitemap.xml também é indispensável ter uma boa configuração, pois, esse é usado como um índice para os buscadores, facilitando assim, o acesso para páginas e arquivos. Porém, é importante salientar que é muito mais importante ter um site facilmente rastreável para os robôs do que utilizar o sitemap.xml para contornar falhas na arquitetura do site.

Esses são alguns pontos que precisam ser levados em conta para o início de qualquer projeto SEO. Sem essas colunas bem pautadas, todo o trabalho pode sofrer com péssimos resultados.

A SinalizeWeb é especialista em consultoria SEO, por isso, trazemos cada vez mais conteúdo diversificado para você entender como o SEO é lapidado. A partir disso, você conhece ainda mais nossos serviços entendendo como é feito de maneira transparente.

Poucas vendas? Veja como resolver!

on Quarta, 01 Novembro 2017. Posted in SinalizeWeb

Ainda está sentindo o efeito da crise no seu negócio? De uns tempos para cá, muitos lojitas reclamam das baixas vendas e dificuldades de prospecção de novos negócios. Isso acontece porque além da crise ainda fazer parte do cenário brasileiro, o consumidor está cada vez mais dividido entre mais de um produto ou serviço a ser escolhido. Além disso, esse consumidor anda cada vez mais exigente.

Quando a meta não é batida, é perceptível sentimentos de frustação, seja para um vendedor de loja física ou para quem está na internet. Ao passar o mês, parece que o desafio é ainda maior do que realmente é.

Existem estratégias que podem ser usadas a partir de agora para resolver problemas de baixas vendas e uma delas é o Networking. Fácil de ser executado, o networking consiste no famoso e antigo “Quem Indica”. Marque presença em feiras, eventos, reuniões. Faça as pessoas falarem da sua marca. Use os meios digitais, participe de fóruns, grupos de discussão entre outros. O “boca a boca” ainda é um forte método para a prospecção de novas vendas, não deixe-o de lado. A melhor maneira de conquistar indicações é estar presente em vários, diversos, muitos lugares!

O Inbound Marketing também pode ser um grande aliado quando a questão é Branding e valor agregado à marca. Reforce para o seu consumidor que quando ele consome a sua marca, ele não está comprando apenas um produto ou serviço, mas sim, está vivenciando novas experiências e fazendo parte de um grupo exclusivo. Vemos isso em grandes marcas como Coca-Cola e Apple, onde as pessoas pagam valores maiores que os dos praticados no mercado por sentirem-se pertencentes a um determinado grupo. Use o Inbound Marketing para criar conteúdos exclusivos que agreguem valor à marca, passando e desenvolvendo a imagem de que você se preocupa com o bem-estar dos seus clientes, com dicas, conteúdo de aprendizagem entre outros.

Na loja física os vendedores são os maiores auxiliares na prospecção de novas vendas. Saiba que na internet, essas pessoas também podem estar presentes com alto poder de influência na decisão dos clientes. Adicione chatbox na sua loja virtual, use-as como meio de tirar dúvidas simultaneamente com o seu cliente. Essa resposta rápida e direta pode ser um diferencial no número final de vendas. Mas lembre-se, as pessoas que estarão no chatbox precisam ter total conhecimento do produto e da sua marca para que as dúvidas sejam totalmente sanadas.

Um processo de vendas bem definido no físico e online pode ser prejudicial se não for bem estruturado. Na loja física o vendedor precisa conhecer o Lead         que está presente e a partir disso ter as ações bem definidas para que a venda seja efetuada. No online isso também acontece, seu site precisa ser de um certo modo “instintivo”. Sem complicações até o carrinho, disponibilize cesta ou lista de pedidos, deixa a área de compra o mais limpa possível e certifique-se que esteja sempre funcionando da melhor maneira para não ter desistências no meio do caminho. Na internet, muitas vendas deixam de ser convertidas por erros do próprio site.

Analisar a performance também é de extrema importância quando a questão é vendas, pois, se em determinado mês você notou vendas baixas, é preciso descobrir a fundo o que causou. Paute estratégias de mensuração de resultados e analise-os com muita atenção. Relatórios também são de grande ajuda nessa analise, seja no online ou físico. Busque ferramentas que tragam essas analises completas como a RDstation, Google Analytics entre outras. Saber onde foi o erro é o principal passo para começar o planejamento do mês seguinte.

Outro ponto que faz diferença na hora de fechar novas vendas é treinar seus vendedores/comercial para que eles saibam lidar com as situações de maneira positiva sempre instigando o cliente a fechar o contrato ou realizar a compra. Os feedbacks são imprescindíveis para essas pessoas, pois, uma vez que elas sabem onde estão errando ou acertando, no próximo momento aquele erro não será mais cometido e aquele ponto forte estará cada vez mais evidenciado. Outro ponto que ajuda nessa evolução, é pautar uma matriz de habilidades com as característica julgadas necessárias para desenvolver a melhor performance possível.

Sazonalidades nas vendas existem, o ideal é antecipar-se a elas. Mas, se você está em um período que as vendas eram para estar deslanchando, siga essas dicas e veja como suas vendas podem aumentar com organização, conteúdo e analises.

Gostou das nossas dicas? A SinalizeWeb está sempre preocupada com o mercado como um todo, por isso, procuramos nesse artigo ajudar você a sair da crise decolando!

5 tendências para o e-commerce nos próximos anos

on Terça, 31 Outubro 2017. Posted in SinalizeWeb

O segmento de e-commerce brasileiro continua em expansão no país. Essa modalidade de comércio cresceu 9,23% e chegou a 600 mil lojas eletrônicas em 2017, segundo pesquisa sobre o setor. Os dados foram revelados por Thoran Rodrigues, CEO da BigData Corp., durante evento realizado nesta quinta-feira, 29/6, na sede do PayPal em São Paulo.

"Esse crescimento, embora menor que nos anos anteriores, mostra uma maior maturidade do e-commerce. O mercado está começando a estabilizar em uma média mais sustentável", disse Rodrigues. "Essa maturidade é muito boa para o ecossistema com um todo".

Tendências para o e-commerce
Gustavo Azevedo, gerente de acesso a mercados e serviços financeiros do Sebrae, falou sobre as novidades que devem nortear o setor de comércio eletrônico nos próximos anos. São cinco tendências que já estão sendo introduzidas por gigantes do varejo mundial como Amazon e Wallmart. Confira a lista:

1. Acesso mobile
Segundo os dados da pesquisa, 24,2% das lojas eletrônicas brasileiras possuem sites responsivos para mobile. Responsável pela maior parte do tráfico online, os aparelhos móveis se tornam um alvo obrigatório para os e-commerces que pretendem se tornar relevantes.

2. Mídias sociais como canal de comunicação
O uso de mídias sociais pelo comércio eletrônico alcançou 72,43% neste ano contra 60,71% de 2016. A utilização desse mecanismo de comunicação possibilita que lojas de menor escala possam desenvolver estratégias de divulgação adequadas para o seu tamanho. Campanhas cada vez mais elaboradas dentro das mídias sociais devem trazer mais clientes para as lojas.

3. Aplicativo próprio
Segundo Azevedo, essa é uma tendência mais voltada para o comércio eletrônico de alimentos. Cada vez mais se torna importante oferecer uma ferramenta própria para facilitar a experiência do seu cliente na sua loja pelo celular.

4. Sistema de clica e retira
Nesse modelo o cliente seleciona e paga um produto pelo site e depois retira o pedido em algum ponto físico. Essa tem sido uma saída interessante para grandes mercados, como o Wallmart. É uma opção que facilita a vida do cliente ao mesmo tempo que oferece uma experiência presencial diferente.

5. Convergência
Em busca de oferecer experiências diferentes, algumas empresas estão trabalhando para unir diferentes cenários na hora de fechar uma venda. O gerente do Sebrae deu como exemplo um produto da Amazon em que o cliente pode pedir roupas na sua casa para provar e depois decidir quais ele efetivamente vai comprar. As roupas que não interessarem podem ser devolvidas gratuitamente.

7 Passos para Melhorar a Performance do seu Negócio

on Segunda, 30 Outubro 2017. Posted in SinalizeWeb

Seja serviço ou produto, deixar de estar na internet é ignorar um ambiente com alto potencial de engajamento de público-alvo. Desde que feito de maneira correta, o online pode trazer novos negócios para você, seja qual for o ramo da sua empresa. Além disso, pode ter certeza que além dos seus clientes estarem na internet, seus concorrentes com certeza também estão marcando presença e conquistando fatia de mercado.

Mas, calma! Essa fatia de mercado também pode ser sua, basta você seguir os 7 passos que a SinalizeWeb montou para ajudar você a melhorar a performance da empresa.

  1. Você não precisa estar em TODAS as redes!

Ao trazer seu negócio para a internet, você depara-se com um mundo de redes sociais. Isso é bom por ter alto poder de comunicação, porém, você não precisa necessariamente estar em todas as redes ou fazer um perfil para cada rede que aparece. Estude seu público-alvo e descubra onde ele está. Exemplo, se o seu negócio é voltado para moda, decoração ou beleza, estar no Pinterest é muito importante, assim como no Facebook. O Instagram também é uma ótima opção se o seu negócio for viagens ou turismo. Claro que dependendo do seu nicho o seu público-alvo pode estar em mais de uma rede. Alimente-as com conteúdos legais e interessantes, como fotos, dicas, entre outros.

  1. Diferentes estratégias nas plataformas

As plataformas são grandes aliadas quando o assunto é comunicação e respostas eficazes. Marque presença, interaja, tire dúvidas. Tudo isso no online. Por ter um ambiente rápido, que exige resposta quase que espontânea você pode usar isso ao seu favor. Crie blog, canal no YouTube, um número no Whatsapp para tirar dúvidas ou disparar novidades. Mas claro, nada muito pesado ou exagerado, saiba dosar a demanda à ser mandada. Diversifique seu conteúdo de acordo com a plataforma escolhida!

  1. Organizar conteúdo e assuntos por páginas

O Layout de um site é a primeira impressão que fica. Imagine você, entrando em um site onde as categorias são uma bagunça, com links quebrados ou que direcionam um determinado tema para outro totalmente distinto. Qual o nível de confiança e credibilidade que esse site passa? Nenhum! Então, lembre-se sempre de estar com a árvore de categorias sempre bem organizada, coloque textos de apoio com links para outras páginas e evite páginas com erro 404. Você não é o único na internet, por isso, é importante que o seu site de primeira vista convença o consumidor que é o melhor, cuidando desses detalhes.

  1. Planejamento de posicionamento

Ter um bom conteúdo, interação e um site organizado são apenas uma parte do planejamento de posicionamento. Dentro dele também estão presentes os períodos, os conteúdos, o objetivo e muito mais. Organize suas tarefas, pautas, públicos a serem alcançados. Organize o que disparar em cada rede, seja Facebook, Instagram, YouTube, E-mail Marketing entre outros. Cada público e cada plataforma precisa de um conteúdo diferente que siga a mesma linha do seu negócio como um todo.

  1. Análise de procedimentos

Agora que você já tem um posicionamento pautado nos principais meios, você precisa analisa-los. Existem diferentes ferramentas para saber se uma ou várias determinadas ações geraram resultados. Google Analytics, Similarweb, RDstation entre outras são algumas que trazem números precisos sobre o seu site, como tráfego, vendas, o meio por qual a venda foi finalizada e muitos outros pontos que é necessário entender quando a questão é vendas. Anote os resultados, compare e analise. Assim você terá maior organização do seu negócio para que a performance desejada seja alcançada.

  1. Mídia paga: vale ou não apena?

Essa é uma grande dúvida quando a questão é publicidade paga na internet. A verdade é que existem casos e casos, seu negócio pode sim se dar muito bem com a mídia paga na melhora da perfomance. Tudo depende de como sua estratégia está organizada e do que se trata seu negócio. A verdade é que a mídia paga traz alto nível de mensuração de resultados, além de ser uma forma de divulgar o seu negócio em diversos meios. A mídia paga também possui alta velocidade de resposta, em questão de horas você consegue ver números reais do investimento feito.

  1. SEO

O último, mas certamente o passo mais importante: SEO. Ele funciona como a mídia paga, ajuda você a ser encontrado na internet, porém, diferente da Mídia Paga, o Search Engine Optimazion pode ser traduzido como Otimização de Mecanismo de Buscas, só que... Orgânicas! Isso significa que você não paga por cliques para estar na primeira página, mas sim, com um conjunto de estratégias que fazem você estar na primeira página. Dentro desse conjunto, o Google analisa diversos aspectos para determinar quem está na primeira página. Conteúdos, Meta Tags (são os Titles e as Descriptions dos produtos), palavras-chave, html entre outros. As palavras-chaves são a base para você ser encontrado e conhecido no meio de tantos outros concorrentes. Conheça a hierarquia das Heading Tags do seu site e passe a adicionar as palavras-chave em negrito. Aqui na SinalizeWeb você pode nos contatar para uma consultoria e descobrir como o SEO pode alavancar de vez a sua performance!

Gostou do conteúdo? Acompanhe nossa página para ficar cada vez mais por dentro de tudo que se diz respeito a comércio eletrônico e muito mais.

Abandono de carrinho no e-commerce: como diminuir?

on Sexta, 27 Outubro 2017. Posted in SinalizeWeb

Brasil é o quinto país com maior acesso à internet no mundo, ultrapassando a marca de 105 milhões de internautas. Nesse cenário, um acontecimento comum é o abandono de carrinho no e-commerce, que chega a 63%, ou seja, a cada 100 consumidores, 63 não finalizam as compras.

Em um levantamento feito pelo Ibope E-commerce, os principais motivos para o abandono de carrinho apontados pelos internautas foram, respectivamente:  “alto valor do frete”, “consumidor não estava pronto para finalizar a compra”, ou “simulação para comparação de preços e desistência após alto preço”.

Com isso em mente, algumas medidas podem ser tomadas para melhorar a experiência dos seus consumidores e consequentemente alavancar as suas vendas.

1 – Facilite o frete dos seus clientes

Os custos logísticos tornaram-se os principais vilões do e-commerce. Com o alto preço pago pelo envio, os clientes chegam a escolher os produtos e desistem após inserir o CEP para finalizar a compra. Para evitar que isso aconteça, ofereça opções de frete de acordo com a necessidade do cliente.

Fretes com prazos e valores diferentes permitem ao cliente comparar os preços e a sensação de ganho é sentida. Ofereça frete expresso, rápido e simples, com tempos de entrega inversamente proporcionais aos valores investidos. Além disso, oferecer um endereço físico para a retirada do produto dentro de um prazo estipulado pode ser a alternativa que o seu cliente busca para fugir dos custos do frete.

Outra saída é oferecer promoções que isentam o frete caso seja efetuada a compra acima de um valor especificado.

2 – Facilite a compra em sua plataforma

Alguns sites oferecem a opção “one-click buy”. Através dela, o cliente pode salvar as informações do cartão, endereço de entrega, entre outras, para que em compras futuras ele consiga realizá-las com apenas um clique. A função pode aumentar as vendas por impulso, assim como ajudar o consumidor que não está encontrando seu cartão no momento em que está fazendo a compra no site e depois acaba esquecendo de finalizá-la.

Caso o comprador ainda não esteja cadastrado em seu site, facilite a inscrição. Ofereça a opção para o cliente preencher os dados a partir das informações das redes sociais, como o Facebook. Desta forma, ele economiza tempo e diminui as chances de desistência.

3 – Envie e-mail marketing relevante

Com o e-mail do cliente em mãos, preenchido no cadastro de seu site, envie informações personalizadas sobre os produtos que ele visualizou recentemente, em especial os que colocou no carrinho, mas não finalizou a compra. Também é possível enviar informações sobre queda de preço ou facilidades de pagamento, ações que possibilitam o resgate de clientes que desistiram de compras nas últimas etapas do processo.

4 – Crie um espaço para comentários sobre os produtos

Se o cliente considera o preço do produto alto, sua relação entre custo e benefício não está correta. Para facilitar a tomada de decisão dos consumidores nesses casos de dúvida, crie um espaço para que outras pessoas que compraram em seu site contém sua experiência sobre o produto.

Sejam boas ou ruins, isso torna mais palpável o que é o produto para o cliente, já que, através de um site, ele não está vendo o produto fisicamente. Caso esteja tendo dificuldades para as pessoas opinarem sobre sua compra, incentive-as, oferecendo cupons de descontos para a próximas aquisições àqueles que avaliarem o produto.

Com o avanço da tecnologia e a rapidez do mundo moderno, tudo indica que o e-commerce continuará crescendo desde que tenha o cliente como missão de vida. Entregar uma experiência de qualidade para os seus usuários e buscar sempre conhecimento é o que fará o abandono de carrinho diminuir cada vez mais em seu negócio.

FONTE: Ecommerce Brasil

Conheça as 6 estratégias de segmentação mais promissoras na publicidade online

on Quinta, 26 Outubro 2017. Posted in SinalizeWeb

A evolução no poder de segmentação de públicos é um fato notório na publicidade. Graças a tecnologias de monitoramento e análise de dados, as marcas hoje conhecem cada vez mais sobre o comportamento do seu consumidor. Ainda assim, se considerarmos as possibilidades quase infinitas de segmentação de dados que temos atualmente, entenderemos porque ainda é um desafio para muitos comerciantes saber quais fluxos e jornadas priorizar em suas campanhas online.

Apesar de complexa, porém, a publicidade personalizada nunca foi tão importante. Uma recente pesquisa feita pela Adlucent, por exemplo, confirmou que os consumidores respondem melhor a essa experiência – 71% dos entrevistados preferem anúncios adaptados aos seus interesses e hábitos de compras.

Por isso, para aqueles que ainda ficam inseguros com o tema, listei as 6 estratégias de segmentação mais promissoras para uma campanha de publicidade digital bem-sucedida:

#1: Segmentação por ‘Categoria de Produto’

A segmentação por categoria de produtos é um dos formatos mais robustos. Ele baseia-se nas mercadorias já vistas por um potencial comprador, e permite que os anunciantes criem peças criativas únicas direcionadas a segmentos menores de público. Por exemplo, se uma loja online de itens esportivos quer impactar “corredores ao ar livre no verão”, ela pode promover modelos selecionados de sapatos ou equipamentos de corrida para pessoas que navegavam em itens dessa categoria ou de outras similares.

#2:  Segmentação por ‘Inscrições’

As campanhas também podem focar em tipos específicos de usuários, como, por exemplo, aqueles que ainda não se inscreveram para receber a newsletter do seu e-commerce. Com informações coletadas por meio de uma tag personalizada ou compartilhada por um cliente, uma campanha de retargeting personalizado pode facilmente identificar e informar esse grupo de “usuários não inscritos” sobre promoções especiais para quem efetuar seu cadastro. A estratégia é útil para conquistar novos assinantes e também para evitar impactar duas vezes aqueles que já estão inscritos.

#3: Segmentação por  ‘Atividade de Usuário’

As soluções avançadas de retargeting permitem executar uma campanha adicional focada em usuários, por exemplo, que não visitaram o site da loja por um longo período de tempo, ou aqueles que compraram algum aproduto específico recentemente. Táticas assim ajudam a construir uma consciência de marca e um relacionamento de longo prazo, mantendo potenciais compradores por perto. Ao mostrar nos anúncios notas de “obrigado”, descontos exclusivos ou uma mensagem sobre as próximas promoções, é possível estabelecer estratégias de longo prazo para manter sua marca ativa na mente dos consumidores, ao mesmo tempo em que retira a atenção dos concorrentes.

#4: Segmentação por ‘Frequência de Compra’

As campanhas também podem ser segmentadas por frequência de compra, considerando o número de ofertas vistas pelos visitantes e consumidores, além dos produtos adicionados ao carrinho e/ou comprados recentemente. Com base nisso os comerciantes podem executar campanhas distintas com diferentes mensagens e criativos dedicados aos usuários que compram com frequência (por exemplo, envie um desconto especial para que retornem), e também àqueles que raramente ou nunca compram no e-commerce (por exemplo, envie um código de cupom para uma primeira compra).

#5: Segmentação por ‘Valor do Produto’

Se o objetivo é aumentar as vendas de produtos com alto valor agregado ou mais caros, o retargeting personalizado também pode ser otimizado para considerar estoques específicos. Nesses casos, os algoritmos de auto-aprendizagem escolherão os itens a serem exibidos no mesmo intervalo de preços dos produtos já vistos pelo usuário

#6: Segmentação por ‘Dispositivo’

Os comerciantes também podem segmentar seus consumidores de acordo com o dispositivo de navegação que utilizam: desktop, celular, TV ou qualquer outro usado para pesquisar um produto online. As campanhas publicitárias em diferentes plataformas (cross device) permitem que os comerciantes não só abordem as pessoas em momentos mais oportunos, como também explorem melhor os horários e telas com maior propensão para determinadas conversões.

FONTE: Ecommerce News

Conheça seu Consumidor e Inove no Marketing Digital

on Quarta, 25 Outubro 2017. Posted in SinalizeWeb

tecnologia criou novas maneiras de se pensar o mundo e abriu espaço para o surgimento do ambiente digital de vendas. Essas mudanças também trouxeram repercussões no comportamento do consumidor: se o modo de vender mudou, o modo de consumir também. Acompanhar as modificações comportamentais do seu cliente é essencial para que a sua estratégia de marketing alcance bons resultados.

A principal mudança no comportamento do consumidor é notada no poder de ação e interação: se antes o cliente era um mero expectador do mercado e das propagandas que eram produzidas, hoje ele pode interagir e influenciar no funcionamento desses espaços. Essa modificação está diretamente relacionada com a evolução tecnológica.

Até o início da década de 90, os principais meios de divulgação de uma empresa eram o rádio, televisão e mídia impressa. Isso fazia do consumidor um mero expectador das mensagens que recebia, pois não existia um meio acessível de reportar a sua opinião sobre o conteúdo recebido. Até existia o meio digital – através da internet discada – mas o acesso a este ambiente era muito restrito e ainda possibilitava pouca interação. Nessa fase, existia o chamado consumidor 1.0: o consumidor que recebia o conteúdo e não respondia a ele.

No começo dos anos 2000, com o desenvolvimento da internet e dos aparelhos de comunicação, surgiu a possibilidade da divulgação amadurecer no meio virtual. Deixou-se de somente repetir o conteúdo criado para a plataforma televisiva e radiofônica nos meios digitais, e campanhas para o ambiente virtual passaram a ser pensadas.

Essa mudança relaciona-se com a possibilidade de efetuar vendas na plataforma digital de maneira mais simples, direta e ao alcance de mais consumidores. Foi quando nasceu o consumidor 2.0: o consumidor que buscava o conteúdo que mais lhe agradava e podia se informar mais sobre o mercado e as empresas. Embora o consumidor 2.0 tivesse mais poder de ação do que o 1.0, ainda não era um agente completamente ativo frente ao mercado.

Foi com a real popularização dos aparelhos de comunicação que o consumidor pôde se tornar autônomo e interativo. Da metade dos anos 2000 em diante, os dispositivos digitais passaram a fazer parte do cotidiano de qualquer pessoa no mundo, o que aumentou e modificou o espaço das redes sociais e a sua capacidade de influenciar o mercado. Nesse momento surgiu o consumidor 3.0: o consumidor que age como influenciador sobre o conteúdo que as empresas produzem.

O surgimento do consumidor 3.0 mudou a importância do meio digital no processo de comunicação entre as empresas e o cliente. Se antes sua empresa só era vista se estivesse na televisão, hoje a notoriedade só é alcançada em ampla escala se a empresa estiver no mundo digital. E o interessante desse mundo são os diversos espaços de interação que ele possibilita e a amplitude de alcance que ele atinge.

O marketing não busca mais alcançar somente o cliente local, é possível vender e fazer negócios com clientes do mundo todo e em diversos momentos de interação. Do e-mail às redes sociais, o seu cliente está sempre pronto para receber conteúdo e cabe a sua empresa conhecer bem as necessidades e vontades do consumidor para atingi-lo no melhor momento.

Nesse sentido, se afirma que hoje as empresas devem ir atrás do consumidor e descobrir o que ele espera. Daí a grande importância do uso de dados, como apontou Filipe Mota da Neoassist em palestra no Congresso de Inteligência Competitiva 2017, “hoje a trajetória é feita pelo consumidor e não mais indicada pelo marketing”, por isso, ter acesso ao que o consumidor está procurando é essencial para que a sua campanha de marketing alcance sucesso.

Para aplicar essa ideia, algumas dicas são preciosas:

Forneça informações e conteúdo

O novo consumidor é muito bem informado e está sempre aberto a entrar em contato com novos conteúdos. Portanto, a sua empresa deve disponibilizar todas as informações sobre os produtos e serviços de forma transparente, sendo que produzir conteúdos sobre o que faz ou vende adiciona mais credibilidade a sua marca.

Esteja sempre conectado, porque o seu cliente está!

As redes sociais permitem que as pessoas estejam sempre online, independente do momento ou onde estejam. Isso cria uma oportunidade infinita de divulgação de sua marca. Ao mesmo tempo as crises podem surgir a todo instante, por isso sua empresa deve estar sempre conectada e informada sobre as avaliações e interações que recebe dos consumidores.

O preço é importante, mas a experiência é muito mais

O consumidor contemporâneo está sempre comparando o valor dos produtos e serviços entre diversas empresas e, apesar de o preço oferecido ser um influenciador relevante, a experiência de compra tem mais destaque. Por isso, garanta que o seu cliente terá acesso a produtos e serviços por preços competitivos e com ótima experiência. Para isso todos os processos de sua loja devem estar com funcionamento impecável: da organização do site ao processo de entrega tudo deve funcionar bem e de forma segura.

Ter uma boa imagem é fundamental

O seu cliente confia na opinião dos usuários das mídias sociais, por conta disso é importante que a sua marca forneça um bom atendimento para garantir que as avaliações feitas pelos consumidores sejam positivas. De nada adianta uma boa campanha de marketing se a experiência oferecida não condiz com a propaganda.

Conhecer essas dicas é fundamental para a produção de qualquer campanha de marketing digital hoje e para a garantia do aumento das vendas e do faturamento.

Fonte: Ecommerce Brasil

Marketing de Experiência – O que é, Como Funciona e a Sua Importância

on Quarta, 25 Outubro 2017. Posted in SinalizeWeb

Entender o Marketing de Experiência e a sua importância não é uma tarefa difícil, ainda mais, quando temos em mente que o nosso cérebro só se lembra do que causou emoção, fora disso, tudo é esquecido em questão de dias, horas ou até mesmo minutos.

Nós, como seres humanos, obviamente optamos por aquilo que tem o costume de nos encantar. Ao sermos encantados, temos o costume de repassar para conhecidos as nossas experiências: Bingo! Aí nasce o Marketing de Experiência, que faz de tudo para a experiência do usuário ser boa o bastante para induzir o consumidor a realizar a compra, engaja-lo e fideliza-lo.

O boca a boca continua sendo uma das maiores formas de propaganda, sendo a primeira que levamos em conta, a frente de estratégias tradicionais como os anúncios. Afinal, o valor de uma indicação costuma ser inquestionável.

O Marketing de Experiência nada mais é do que mexer com os sentidos, fazer um Neuromarketing inovando e impressionando, para que assim o processo de compra forneça estímulos gerando o prazer de compra, o que no final reflete em fidelização e engajamento.

Todos esses conceitos foram gerados a partir da definição de Client-Share, que é avaliar cada consumidor como único - como uma persona - assim, estudando e entendendo o que leva-os à ter prazer ou não ao realizar uma compra.

Agora que entendemos a teoria, vamos entender como funciona na prática.

Você depara-se com Marketing de Experiência todos os dias. E só ao falar algumas características você é capaz de lembrar-se de qual marca estamos falando. Quando citamos os sentidos, estamos referindo-nos à palavra literal dos cincos sentidos. O olfato é uma tática: quantas lojas usam odores agradáveis que sentimos ao passar em frente? E não estamos falando apenas de perfumarias, mas, por exemplo, uma específica loja de calçados que é adepta a essa tática.

A emoção também é um grande triunfo no Marketing de Experiência, pois, ter a capacidade de emocionar de modo que sua marca, produto ou serviço seja lembrado é um bom inicio de realizar o Marketing de Experiência.

A inovação é a que pode gerar mais resultados, seja para uma loja física ou virtual. Experimente mudar seu cenário e adequá-lo ao seu público alvo. Enquanto lojas virtuais, experimente investir em UX (um conceito atual para definir usabilidade de um site, desde sua organização como a árvore de categorias até o carregamento da página e design).

O modo como é feita a interação com o cliente como um geral, também é um fator essencial de Marketing de Experiência. Aquela página daquele restaurante ou daquela marca de roupas que você tanto gosta, quando tem interação com o público, faz promoções não só de venda, mas também de interação em si, faz com que você comente para outras pessoas que aquela página faz posts divertidos. Pronto! Você engajou, fidelizou e agora está nutrindo aquela persona com conteúdo.

 

Os 3 V’s do Marketing de Experiência

Assim como os 4’Ps da publicidade, o Marketing de Experiência também possui fundamentos essenciais para que ocorra o encantamento do usuário ou consumidor.

Verdade: Parece óbvio, mas é um ponto que não pode ser esquecido na hora de executar o Marketing de Experiência. Ninguém gosta de ser iludido ou enganado em qualquer momento da vida, inclusive no momento de compra. Fazer promessas está liberado, desde que as mesmas, sejam capazes de serem cumpridas.

Contar verdades está ligado aos valores da empresa, por isso é tão importante que você seja transparente, pois, ter a imagem ligada a mentiras ou algo do tipo, pode ser não só prejudicial mas também irreversível.

As pessoas ligam os seus próprios valores ao que lhes são apresentados, ou seja, transmitir transparência pode mexer com as emoções, fazendo com que sua marca seja lembrada à frente de outras.

Vontade: A vontade é uma derivada direta da verdade, por isso, novamente, ressaltamos a importância de ser transparente.

 A vontade surge a partir do momento que você encantou-se pela verdade transmitida pela empresa e está disposto a consumi-la. A vontade é a base da tomada de decisão do cliente. Juntamente com uma boa experiência, a vontade incentiva o consumidor a passar por aquele sentimento de compra novamente.

Todo o processo, todas as etapas e fatores devem ser feitas de maneira correta, pois, uma etapa afetada pode ser prejudicial ao ciclo todo. Ou seja, é imprescindível que haja atenção à todos os processos de compra: desde a comunicação até a disponibilidade do produto. O Marketing de Experiência é feito nos detalhes.

Valor: O valor está diretamente ligado à percepção que o consumidor tem para com a marca. Uma compra com significado faz com que o consumidor lembre de você à frente dos concorrentes. Faça com o que o cliente lembre-se da sua marca de maneira positiva acrescentando pontos positivos, pois, o primeiro contato será primordial.

Quando nos identificamos com uma marca a partir da verdade que ela passa, a vontade de comprar é instantânea e o valor que colocamos àquela compra, faz com que haja fidelização.

O Marketing de Experiência é tão importante porque é o cuidado que a empresa tem na construção não só da sua marca, mas também na construção dos laços que serão formados com o consumidor.

As sensações e encantamentos possuem diversos pontos que podem ser explorado, mas você não precisa explorar cada um deles, mas é necessário que foque em pelo menos um e faça de tudo para que aquela experiência gerada seja não só a melhor possível, mas também a mais memorável positivamente.

Não tenha medo em investir em Marketing de Experiência. Experimente, teste e explore todas as possibilidades existentes, desde a sua missão, valores, cultura até os pontos de venda.

Gostou de saber mais sobre o Marketing de Experiência? Não deixe de conferir mais dicas do mundo do marketing aqui na SinalizeWeb!

5 Erros na Comunicação B2B – Como Acertar?

on Terça, 24 Outubro 2017. Posted in SinalizeWeb

  1. Ignorar diferenças e pontos em comuns ao B2C

Esse é um dos principais erros que as organizações B2B cometem na hora de investir em marketing – ou pior – ignoram os resultados que uma boa comunicação pode trazer.

Claro que uma empresa B2B precisa ter em mente que o seu público alvo é diferente ao público comum das empresas B2C, por isso, os meios de comunicação devem ser bem escolhidos, ou seja, diferente de um B2C, anunciar na televisão não faz o menor sentido.

É necessário ter em mente que o público é específico, mas, não é por conta disso que o marketing deve ser “chato” e sem emoção com quase nada de investimento.

Apesar de tratar-se de negócios entre empresas, quem compra ou assina um contrato não são as empresas em si, mas sim, pessoas! E as pessoas têm emoções e recebem estímulos, a partir deles que as decisões são tomadas.

Então, conheça esses aspectos, estude seu próprio negócio, busque os meios que o seu público está e explore suas emoções, afinal, organizações não assinam negócios e sim as pessoas que trabalham nelas.

  1. Falta de planejamento nas estratégias e operações

Planejar é a base de qualquer aspecto no B2B, inclusive no marketing. Começar uma campanha ou estratégia sem o devido planejamento, sem traçar metas, porquês e os modos de como alcançar aquilo, é como pegar uma estrada sem saber para onde está indo.

  • Essa jogada no escuro é difícil dar certo – mais precisamente, impossível – afinal, como eu vou nutrir uma boa comunicação sem saber o que eu quero com ela, sem saber quem e como atingir?

Sem o planejamento você não consegue nem mesmo ter o controle do tempo e do investimento e esses pontos podem ser fundamentais para o sucesso de uma comunicação B2B.

Existem métodos comuns entre empresas B2B, como o E-mail Marketing. Muitas vezes há dúvidas se a estratégia do e-mail marketing funciona. Nós respondemos: Se não houver planejamento, certamente não dará. Se você não segmentar informações e apenas mandar para uma massa, o retorno é igual a nulo.

  1. Ausência e falhas no relacionamento com o cliente

As mídias sociais podem ser uma grande amiga para a comunicação das empresas B2B, basta saber utiliza-las para o seu benefício.

Primeiro, é importante ressaltar que ignorar a comunicação com o seu consumidor por você ser uma emrpesa business-to-business é um grande erro e que pode gerar prejuízos a falta de atenção e relacionamento com o seu cliente. Essa falha pode ser prejudicial e gerar perda de contratos.

Marketing de Conteúdo: É a estratégia que toda organização B2B deve adotar. Gerar conteúdo no nicho que você é especialista, pode gerar autoridade no assunto tratado e visibilidade entre o público-alvo em potencial.

Explore as mídias sociais, blogs, e-books e tudo que o marketing digital pode oferecer. Além disso, é uma boa forma de manter contato e criar uma relação de amizade com o seu cliente, recebendo feedbacks de sugestões, dúvidas ou elogios. Cuidado, pois as críticas também vão aparecer. Não tema responder, afinal, quanto antes acontecer a solução, melhor será a visibilidade da sua empresa para com os outros clientes.

  1. Ignorar os meios Digitais

Além de você poder propagar ideias nos meios digitais, você pode usar a internet também para gerar conhecimento da sua empresa.

Bom, o primeiro ponto é que o seu site não pode ser feito “pelo sobrinho”. Brincadeiras à parte, o seu site pode ser a porta de entrada para gerar clientes, então, invista em quem tenha conhecimento para tal realização. Após ter a importância de um bom site em mente, otimizá-lo com quem entende é um bom modo de ter mais visibilidade.

As decisões de compras passam por processos de pesquisas das organizações e essas, também migraram para o meio digital, por isso, é importante que você tenha força na presença digital com credibilidade no site, redes sociais, ótimos vídeos com boas qualidades, etc.

  1. Não ter paciência quanto aos resultados

Assim como outras estratégias adotadas dentro das organizações, o marketing também é mensurável, assim, dando total noção de retorno.

Tenha paciência, afinal, dependendo da estratégia pode ser que os resultados venham a curto ou longo prazo.

Com as dicas da SinalizeWeb, você entendeu e já está preparado para acertar de vez nos meios de comunicação B2B!

O Design é importante?

on Segunda, 23 Outubro 2017. Posted in SinalizeWeb

Saiba como o design pode interferir na imagem da sua empresa.

Muitas empresas e seus empreendedores possuem dúvidas quanto à importância do design em geral, bem como a produção de embalagens, por exemplo, assim como também a produção de campanhas e tudo que se diz respeito à comunicação de uma organização.

A importância do design pode ser vista na atratividade que um produto pode oferecer, afinal, em questão concorrência, o número de produtos vendidos com as mesmas funcionalidades é enorme e a decisão do consumidor muitas vezes fica por conta dos pequenos detalhes.

O Design ainda pode ser visto como de extrema importância não apenas para um produto bonito, mas também pode influenciar na funcionalidade, proporcionando melhor experiência para o usuário. Ele é responsável não só por um “formato”, mas sim por todo o planejamento desde a escolha dos materiais, até a sustentabilidade econômica e social, passando pela usabilidade do usuário em questões como ergonomia e muito mais.

Todos esses pontos precisam estar ligados e com alto nível de produção, até porque, como dito antes, em meio às tantas opções os mínimos detalhes fazem a diferença na escolha do consumidor e o design pode ser um grande responsável por essa escolha.

Além das questões que envolvem diretamente o produto, o design também é indispensável na comunicação geral da empresa como a construção do logo, criação de campanhas e relacionamento com o cliente. Em outras palavras, o design é responsável pela construção da identidade visual de uma empresa.

O logo de uma empresa pode ser o primeiro impacto com o consumidor, por isso é importante que esse transmita os ideais da empresa como seu ramo e valores de um modo direto. O logo é o seu cartão de visitas, é bom ter sempre isso em mente quando for cria-lo ou muda-lo. O design entra no nível de profissionalismo dessa arte, que precisa ser no mínimo impecável.

Além disso, o design também atua de modo geral na comunicação de uma organização. Não basta apenas lançar uma campanha que no papel tem uma boa ideia, o designer vai ser responsável para que aquilo atinja o consumidor de um modo que seja impactado a um nível de que haja a emoção para que aquela lembrança seja levada.

No Marketing Digital o design é de extrema importância, pois ele atua em todas as áreas de um e-commerce. Podemos tomar como exemplo uma loja virtual: Ela precisa que seu site tenha a navegação facilitada de modo que a compra seja realizada sem problemas. A criação de interfaces visuais agradáveis pode ser uma boa técnica para estimular o consumo.

Ainda no mundo digital, as campanhas de comunicação podem ter um maior alcance se comparadas às estratégias comuns como TV por exemplo. Na internet você vai precisar de ainda mais força na questão “chorar” – positivamente, claro – Com isso, um ótimo design pode ser um grande amigo.

Outras áreas em que podemos ver o design como principal destaque quando bem feito: Design de processos, softwares, PDV’s, na influência do valor da marca entre outros.

Com os casos apresentados fica clara a importância do profissional de design, só ele consegue trazer pontos que necessitam estudos para serem colocados em prática de maneira que o sucesso seja atingido.

Navegue na SinalizeWeb e descubra novas definições de tecnologias e importâncias que surgem todos os dias, com conceitos e exemplos que são descobertos a cada dia!

 

[12 3 4 5  >>  
© 2017 SW Tecnologia em Marketing de Performance. Todos os direitos reservados.

Portfolio